Quais os tipos de e-commerce que existem no Brasil?

13.02.2020
Quais os tipos de e-commerce que existem no Brasil?

Acredito que você chegou nesse post com algumas dúvidas sobre os tipos de comércio eletrônico. Principalmente o que diz respeito a E-commerce e Marketplace.

O chamado E-commerce vende produtos de uma única loja, como é o caso da Magazine Luiza.

Já o Marketplace, reúne diferentes lojistas em uma única plataforma, como é o caso da Netshoes. Essa configuração de comércio eletrônico funciona como uma espécie de intermediador entre vendedor e cliente. 

Agora que você já sabe a diferença dos dois, voltemos ao E-commerce.

Por vender produtos de uma única loja, muitas vezes essa configuração de comércio eletrônico é confundido com loja virtual. 

Você conhece todos os diferentes tipos de e-commerce que existe no Brasil? Qual deles é o ideal para a sua loja? Como anunciar nesse tipo de canal?

Se você ainda não sabe, dá uma olhada nesse post que preparamos para sanar essas e outras dúvidas sobre E-commerce.


A facilidade de poder fazer muita coisa pela internet já é rotina na vida de muitas pessoas. Quem nunca pagou uma conta pelo aplicativo do banco, pediu uma refeição pelo aplicativo de entregas, ou então, comprou um celular, uma televisão ou algo do tipo?

Pois é, os consumidores estão trocando as filas quilométricas de Black Friday e Saldão nas lojas pelo conforto de comprar pela internet no sofá de casa. Isso mostra a importância dos lojistas estarem na mira desse público nos meios virtuais.

Preparamos este post para que você saiba como funciona o E-commerce e quais são as vantagens de utilizar esse tipo de comércio para suas vendas.

A diferença entre esses dois termos estão relacionados ao seu significado de fato. A loja virtual diz respeito ao website de um vendedor, ou seja, lugar onde a pessoa adquire o produto. Sendo assim, a loja virtual é um dos canais do e-commerce.

O que é E-commerce?

Resumidamente, o E-commerce, ou comércio eletrônico, refere-se a varejo e compras online, bem como transações eletrônicas.

Vale lembrar que essas transações não envolvem somente a compra e venda do produto em si. É preciso considerar todas as etapas do processo como fornecedores, previsão de compras, gestão de estoque, logística e muito mais.

Esse tipo de comércio eletrônico teve um aumento considerável nas últimas décadas, substituindo as lojas tradicionais. 

Muitos ainda confundem E-commerce com loja virtual, o que é um grande engano. A loja virtual nada mais é que apenas um dos canais do E-commerce.

Além disso, marketplaces, vendas por e-mail marketing e redes sociais tão são exemplos dessa modalidade.

A história do e-commerce

Há algum tempo atrás, a gente sabe que não havia muitos outros meio de realizar compras se não fosse de forma física. Ou seja, sair do conforto de casa e ir até a loja comprar o produto.

Aqui no Brasil, por exemplo, o comércio eletrônico tem menos de duas décadas de existência. 

A evolução desse tipo de comércio esteve sempre muito interligado com o desenvolvimento da internet.

Assim, com a popularização da internet ali pela segunda metade da década de 90, o comércio eletrônico começou a operar semelhantemente como é hoje. 

Nessa época então, o comércio eletrônico deixou de ser tendência e se tornou uma realidade sólida para os que gostam de facilidade e praticidade na hora de comprar alguma mercadoria ou produto.

É comum que quem ainda não tenha lá uma boa prática com a internet, esteja cercado de dúvidas sobre como funciona os tipos de comércio eletrônico. 

Mas calma que nós vamos explicar abaixo.

Como funciona o e-commerce?

Basicamente, as fases que envolvem a venda de produtos no e-commerce são essas: 

  • Exposição de produtos. 
  • Pagamento.
  • Entrega dos produtos. 

Agora, dentro desse procedimento ainda existem outras questões que envolvem marketing, atendimento, pós venda e muito mais.

Observe a situação prática:

Um vendedor tem interesse em oferecer seus produtos na internet.

Ele então anuncia na página de sua loja virtual a foto de seus produtos, acompanhadas das especificações técnicas e características deles como peso, dimensões e preço.

Dentro da loja existe um carrinho virtual, onde o consumidor pode adicionar vários produtos enquanto navega pelo comércio online. 

Para concretizar a compra e realizar o pagamento, o comprador precisa fornecer informações básicas para o cadastro como nome, endereço, contatos e muito mais.

O próximo passo é optar por um método de pagamento. Quando o consumidor escolher entre pagar com cartão de crédito, débito ou boleto, as informações são repassadas para uma rede segura para proteger o usuário de fraudes. 

Já com relação a entrega do produto, quando há frete, o valor é incluso no valor total da compra. Após isso, o cliente só precisa aguardar pela entrega do produto no local escolhido.

Tipos de e-commerce

Quando pensamos em E-commerce logo vem em mente um site que vende produtos para um consumidor final. 

Porém, existem muitas empresas que vendem para outras empresas e usam a internet como estratégia comercial.

Conheça abaixo os principais tipos de comércio eletrônico no Brasil e suas características:

1. Business to business (B2B)

A relação nessa configuração de E-commerce acontece entre corporações. Sendo assim, existe a venda insumos de uma empresa para a outra.

Algumas empresas que se encaixam nessa modalidade são: papelarias, loja de móveis para escritórios, equipamentos de proteção para construção etc. 

Nesse tipo de e-commerce o volume de vendas e o faturamento tende a ser maior do que em outros modelos. 

A desvantagem é que no B2B as exigências também são maiores como, por exemplo, rapidez na entrega, qualidade, frete acessível, entre outras. 

E são essas exigências que garantem a satisfação desse tipo de cliente.

2. Business to consumer (B2C)

O modelo B2C – Business to Consumer –  trabalha com a relação entre companhia e consumidor final.

Hoje, esse é o modelo mais conhecido, pois os perfis que mais se encaixam nessa categoria são os varejistas como: loja de móveis, eletrodomésticos, eletrônicos etc. 

No Business to Consumer as lojas se diferenciam pelos preços competitivos, pensando que a decisão se dá de forma rápida, baseado na pesquisa de preços. 

Alguns outros diferenciais oferecidos pelas lojas se destacam entre a concorrência como, por exemplo, o frete grátis.

3. Consumer to consumer (C2C)

Esse tipo de e-commerce é um tipo de comércio que se expandiu a partir da internet, criando diversas possibilidades de compra e venda entre as pessoas.

Nessa configuração, o consumidor pode vender para outro consumidor, seja produtos ou serviços. É o caso de cozinheiros, freelancers, prestadores de serviço etc.

São inúmeros marketplaces que disponibilizam ambiente para aqueles que procuram investir nesse modelo de negócio para ganhar uma renda extras.

Como exemplo, podemos citar as plataformas Nuvem Shop e Loja Integrada. Elas oferecem modos variados de pagamento e envio de produtos.

4. Consumer to business (C2B)

A relação dessa modalidade se dá de entre consumidor e as empresas, de maneira inversa ao B2C. Ou seja, é quando pessoas físicas fazem vendas para pessoas jurídicas. 

Esse modelo ainda é pouco explorado, mas tende a crescer em relação a sua praticidade e poucas exigências formais.

5. Business to administration (B2A)

O modelo Business to Administration diz respeito a transações realizadas entre empresas e administração pública. 

É o caso de serviços fiscais, segurança social, serviços de empregos, documentos legais, registros etc.

Para fornecer para o governo é preciso estar em dia com as leis trabalhistas e com o pagamento dos impostos, participar e vencer licitações, cotações e/ou tomadas de preço, além de ser cadastrado em um sistema nacional de fornecedores.

Modalidades de E-commerce

Ainda dentro da configuração de E-commerce existem três modalidades específicas que usam diferentes tipos de plataformas para o comércio online, são elas:

M-Commerce: vendas a qualquer hora e em qualquer lugar

Essa modalidade é uma das formas de comércio eletrônica que vai está difundida, digamos assim, pois corresponde às tendências atuais. 

O chamado Mobile Commerce, ou M-commerce, é a transação comercial, ou venda online, que acontecem por meio de dispositivos móveis como smartphone ou tablet. 

Hoje, é muito difícil encontrar alguém que não tenha um celular ao alcance das mãos. Com o senso de urgência para tudo na sociedade, junto ao consumo excessivo, o mais simples e rápido é fazer compras pelo dispositivo móvel.

Essa é uma espécie da evolução do E-commerce, pois essa modalidade de comércio é uma grande oportunidade para conquistar os clientes que vivem conectados e preferem a mobilidade do smartphone para fazer compras. 

Além disso, o M-commerce aproveita a interatividade das redes sociais para potencializar as vendas. 

Com essa tecnologia é possível aumentar a visibilidade da marca, pois as pessoas têm mais facilidade para compartilhar as suas experiências de compra com os amigos.

S-Commerce: vitrine da rede social

Conhecido como Social Commerce, essa modalidade possibilita a integração da loja virtual às mídias sociais, permitindo a interação do usuário com o conteúdo que está sendo oferecido.

Na página, o consumidor pode classificar a qualidade do produto, do atendimento, compartilhar, fazer comentários e muito mais. 

Quando um produto é compartilhado, a empresa ganha ainda mais visibilidade por meio de divulgações gratuitas.

T-Commerce: do conforto de casa

Essa modalidade conhecida também como comércio de televisão, utiliza a tecnologia junto à parte criativa de conteúdos de filmes, seriados e comerciais das mais variadas produções independentes. 

Existem muitos fatores que contribuem diretamente com o crescimento do mercado de E-commerce no Brasil. 

Dentre esses fatores estão os avanços tecnológicos e o constante desenvolvimento de novas soluções.

Hoje, a TV digital, por exemplo, conta com muitos recursos que permitem uma maior interatividade do telespectador e que novos campos sejam explorados. 

O T-commerce oferece uma nova forma de receitas financeiras para emissoras, serviços de streaming, marcas etc.

Como gerenciar seu e-Commerce

A gente sabe que as burocracias existentes em cima da abertura de uma loja física são inúmeras, mas fazer isso no ambiente virtual é muito simples.

Com o sistema vhsys você consegue criar sua própria loja virtual e, ainda, fazer integrações com o Mercado Livre, Magento, entre outras.

Além disso, no sistema você encontra diversas funcionalidades que trazem praticidade e agilidade para seu negócio:

  • Controle fiscal.
  • Financeiro.
  • Emissor de Nota Fiscal Eletrônica.
  • Controle de vendas.
  • Estoque.

Tudo isso em um único lugar. Faça um teste grátis por 7 dias e descubra tudo o que o sistema vhsys pode fazer pelo seu negócio.

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários da públicação

  • avatar
    Igor, em 02.07.2019 disse:

    Olá, Fernando. Gostaria de saber o seu sobrenome para que eu possa referenciar em meu trabalho acadêmico.

    Ótima matéria.

    Att,
    Igor

Conheça o VHSYS

Sistema de

Gestão Completa VHSYS

Emita Notas Fiscais

Gerencie as Vendas

Controle o Estoque

Organize seu Financeiro

Saiba mais
Desbloquear conteúdos

Torne-se um empreendedor de sucesso. Tenha acesso aos nossos conteúdos exclusivos gratuitamente.