Conecte-se ao empreendedorismo

Controle de estoque, você conhece a importância?

Tempo de Leitura: 6 minutos
O mau controle de estoque pode fazer com que uma empresa gere prejuízos. Entenda o que você pode fazer para contornar esse problema e aumentar a receita do seu empreendimento, sem custos extras!

O controle de estoque tem sido um diferencial competitivo para aqueles empreendedores que sabem como utilizar. Negócios têm apresentando crescimentos expressivos, pelo simples fato de terem otimizado o processo de compra e armazenamento de mercadorias.

Alinhado a tudo isso, empresas que mantêm o estoque de forma eficiente são mais capazes de atender às demandas do mercado consumidor e, consequentemente, gerar mais vendas.

Se você também quer ter esses benefícios em seu negócio, você está no lugar certo. Neste artigo, vamos te ensinar, de forma simples e objetiva, o que você precisa para realizar um bom controle de estoque na sua empresa. Observe o que você aprenderá hoje:

Qual é a função do controle de estoque?

Dentro das empresas, o controle de estoque tem a função de gerenciar todas as mercadorias, desde a sua entrada até a sua saída. Essa atividade é responsável por manter armazenada a quantidade exata de matéria-prima e produtos que permitirão que o empreendimento atenda as demandas dos clientes e não gere custos extras com o desperdícios de materiais.

Os 5 principais tipos de controle de estoque

Embora o controle de estoque possua uma finalidade bem definida, existem diversas formas de executar essa atividade. Diante disso, é importante que você saiba analisar e identificar qual mecanismo melhor se encaixa no seu modelo de negócio. Portanto, abaixo, trouxemos os 5 principais tipos de controles de estoque para você.

1. Just in Time

O Just in Time (na hora certa) é uma filosofia que diz que as empresas devem produzir o produto certo, no momento certo e na quantidade correta. Dessa forma, é possível reduzir os desperdícios e, consequentemente, aumentar a margem de lucro de uma operação. Esse pensamento engloba todo o processo produtivo, do fornecimento de matéria-prima à produção, o armazenamento e a entrega das mercadorias.

Para que isso seja possível, o empreendedor deve avaliar todos os processos internos e os organizar, de forma  que o empreendimento possa extrair a capacidade máxima das máquinas, materiais, instalações e colaboradores.

2. Curva ABC

A Curva ABC é uma metodologia que permite ranquear os recursos de uma empresa de acordo com o seu grau de importância. Nesse mecanismo, temos a classe A, a classe B e a classe C. Vale lembrar que os fatores do controle de estoque que essa ferramenta leva em consideração são o giro de estoque, o faturamento e a lucratividade. Dessa forma, temos:

  • Classe A: são os itens mais valiosos e com os maiores preços. Correspondem a 20% do volume de mercadorias armazenadas e a 80% do valor de recursos em estoque. Por conta disso, precisam ser administrados com afinco.
  • Classe B: são os itens que possuem quantidade e valores intermediários. De forma mais precisa, são os 30% de mercadoria que são responsáveis por 15% do valor do estoque. Para essa classe de recursos, faz-se necessária uma administração moderada.
  • Classe C: são os itens que aparecem em maior quantidade, mas possuem o menor valor. Podemos definir essa classe como 50% do volume total de mercadorias que somam 5% do valor total do estoque. Embora não tenha um alto grau de importância, é preciso gerenciar esse tipo de material, uma vez que geram despesas para uma organização, por meio do seu armazenamento.

Perceba que, independente da classe dos recursos, eles precisam ser estocados e bem gerenciados. Porém, como você pôde perceber, para uma empresa, algumas mercadorias geram mais lucros que outras. Dessa forma, é justo que o seu armazenamento tenha uma atenção e um cuidado maior.

3. Giro de estoque

O giro de estoque é um cálculo realizado pelas empresas para que elas possam identificar o intervalo de tempo que um determinado item fica em estoque. Dessa forma, é possível manter um equilíbrio entre as entradas e as saídas de mercadorias. O cálculo desse indicador é realizado pela seguinte equação:

  • Giro de estoque = número de vendas / volume médio de estoque

Para trazer um exemplo mais concreto, imagine que uma empresa “A” vendeu 80.000 itens no ano de 2021 e declarou um estoque médio de 16.000 itens, nesse mesmo intervalo de tempo. Quantos giros de estoque essa empresa teve em 2021?

  • Giros de estoque = 80.000 / 16.000 = 5 giros de estoque

Além dessa informação, um outro cálculo que podemos realizar é o tempo médio que uma empresa demora para fazer a reposição de estoque. Basta que dividamos os 365 dias do ano pela quantidade de giros de estoque. Utilizando os dados do exemplo anterior, a empresa “A” terá que repor o estoque a cada 73 dias, em média.

4. PEPS

PEPS é um acrônimo para a frase “primeiro que entra, primeiro que sai”. Esse nome é auto explicativo e nos demonstra de que forma o estoque de uma empresa é estruturado. Nesse mecanismo, as mercadorias mais antigas têm a preferência, na hora da venda.

5. UEPS

UEPS também é um acrônimo, contudo, para a frase “último que entra, primeiro que sai”. Podemos dizer que esse mecanismo é o oposto do PEPS. Esse método dá vazão aos itens mais novos do estoque, ou seja, os recém chegados.

Qual a importância do controle de estoque para pequenas empresas?

O controle de estoque é importante para pequenas empresas, pois é por meio dele que o empreendedor pode aumentar a receita do seu empreendimento. Quando você possui uma boa gestão dos recursos que você tem armazenado, você consegue manter um equilíbrio entre as demandas do mercado e os materiais disponíveis em estoque.

Dessa forma, é possível estar sempre pronto para atender as necessidades do consumidor final, ao passo em que reduz os custos com armazenagem, perda de matéria-prima e produtos que não vendem.  

5 dicas para você dominar o estoque do seu negócio

Até o momento, você entendeu qual a função do controle de estoque e sua importância, bem como as 5 principais metodologias utilizadas durante esse processo. Se você se convenceu de que precisa gerenciar melhor as entradas e saídas dos materiais da sua empresa, temos 5 dicas para você. Confira abaixo!

1. Conheça bem o seu negócio

Para ter um bom controle de estoque, é necessário que você entenda todo o ciclo que uma mercadoria percorre, desde sua fabricação até o seu consumo pelo cliente final. Você precisa entender de onde ela vem, por onde ela passa e para onde ela vai.

Com esse conhecimento, você consegue ter uma ampla visão sobre o fluxo que um produto percorre durante seu ciclo de vida. Dessa forma, torna-se mais fácil identificar e corrigir qualquer tipo de erro que ocorra.

2. Mapeie os processos da sua empresa

Em complemento ao tópico anterior, é de suma importância mapear os processos da sua empresa. É por meio dessa prática que você conseguirá visualizar quais são as atividades realizadas dentro do seu empreendimento e de que maneira seus colaboradores as executam. Dessa forma, faz-se possível compreender quais etapas do seu processo produtivo podem ser melhoradas e encontrar meios para isso.

3. Controle as entradas e saídas do estoque

Na sua empresa, é importante que você mantenha um registro das mercadorias que entram e das que saem. Dessa forma, você pode ter várias informações que te impeçam de ter estoque em excesso, ou então, de não ter produtos o suficiente para suprir a demanda dos clientes. A melhor forma de fazer esse controle é por meio de um software de sistema de gestão.

4. Estabelecer datas e períodos para compras

Para uma boa gestão de estoque, é necessário que você tenha datas e períodos de compra de materiais bem definidos. Dessa forma, você tornará o processo de armazenamento de mercadorias mais simples e eficiente.

Neste momento, você pode utilizar os cálculos que vimos no subtópico sobre giro de estoque. Você precisará apenas dos dados de entradas e saídas da sua empresa do último ano. Com isso, é possível encontrar o número médio de giros de estoque que sua empresa tem em 365 dias e a periodicidade média de reabastecimento das mercadorias.

5. Definir o volume mínimo e máximo para cada item

Assim como todas as outras dicas, definir o volume mínimo e máximo para cada item do seu estoque vai permitir que você não compre produtos de mais e nem de menos. Você pode chegar a esses valores por meio dos seguintes cálculos:

  • Estoque mínimo = custo médio diário do produto * tempo de reposição
  • Estoque máximo = estoque mínimo + lote de reposição

Dessa forma, você consegue passar dois indicadores muito importantes para o seu time de compras. Com essas informações, a sua equipe conseguirá comprar a quantia exata de produtos que devem ser mantidos em estoque, otimizando os gastos da empresa com mercadorias.

Sistema certo para controle do seu estoque

Não dá para falar de controle de estoque sem falar do Sistema de Controle de Estoque Online da vhsys. Com esse sistema, além de evitar erros e facilitar a rotina, você pode automatizar todos os processos e contar com mais segurança e eficiência.

Mas você deve estar se perguntando: como esse sistema funciona? É simples! O vhsys é uma plataforma que une diversas ferramentas necessárias para um bom gerenciamento de micro e pequenas empresas. Dessa forma, você consegue manter todas as informações e automações em um único lugar.

Clique na imagem abaixo e garanta, por 7 dias, acesso gratuito ao nosso Sistema de Controle de Estoque Online.

Controle de estoquevhsys

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Teste Grátis Hoje!

Clicando em ”Iniciar o teste” você concorda com nossos termos de uso