Ponto de equilíbrio financeiro, econômico e contábil: o que são?

Gabrielly Balão

Uma das principais abordagens para se planejar um negócio sustentável é o cálculo do ponto de equilíbrio. Isso acontece quando a receita total da empresa é igual à soma dos custos e despesas. Ou seja, nessa situação, não há lucro, mas também não há prejuízo.

O ponto de equilíbrio financeiro é um número de referência para que se saiba quanto se deve faturar para bancar todas as outras operações da empresa.

Conhecer o ponto de equilíbrio, ou o break-even point, também proporciona uma visão do momento a partir de onde uma empresa começa a lucrar.

Neste artigo, você saberá mais a respeito do ponto de equilíbrio financeiro, econômico e contábil da sua empresa, além de aprender como calcular suas principais aplicações na definição de estratégias para sua empresa. Boa leitura!

O ponto de equilíbrio e o gerenciamento

“Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende e não há sucesso no que não se gerencia”. Essa é provavelmente a frase mais famosa de Willian Edwards Deming, um importante estatístico considerado um dos maiores gurus da administração moderna.

Para manter a boa gestão de um negócio é essencial que a empresa tenha ciência de sua situação em tempo real. Isso vale para todos os indicadores, como estoques, número de clientes, custos, investimentos. E, obviamente, a posição financeira.

Manter-se em crescimento constante é primordial para garantir a saúde do negócio e fazer o planejamento financeiro é uma das etapas mais importantes, pois auxilia na tomada de decisões, na definição de estratégias, na promoção de cargos, na contratação e desligamento de funcionários entre muitas outras atividades organizacionais.

Para um bom planejamento, o empreendedor precisa aprender a realizar o controle financeiro, e com isso garantir que sua empresa consiga se sustentar. Nesse sentido, identificar o ponto de equilíbrio financeiro é essencial.

Esse indicador permite estudar e definir diversos requisitos que são elementares em um empreendimento, como a precificação dos produtos ou serviço, o volume de vendas e seus canais de distribuição, as possibilidades de investimentos em práticas comerciais e em marketing, dentre outros.

Porém, esse número deve ser apenas um balizador, não deve ser tomado como meta. O objetivo deve sempre ser atingir o lucro, ou seja, ultrapassar o ponto de equilíbrio. Empresas que não conseguem lucrar e operam apenas para pagar seus custos estão fadadas ao fracasso.

Abordagens do ponto de equilíbrio

Toda empresa deve avaliar sua situação por diferentes visões. A contábil, que é estabelecida em lei, a econômica que utiliza o regime de competência e a financeira que é baseada no fluxo de caixa da empresa. Entenda sobre cada uma delas:

Contábil

Esse cálculo é o mais comum utilizado para análises por parte dos gestores de empresas, ele é a representação simples do quociente resultado da divisão dos valores dos custos e despesas fixas pela margem de contribuição unitária.

Por ser um cálculo em que não são demonstrados lucros, nem prejuízos contábeis, alguns especialistas consideram como uma forma ultrapassada de planejamento. Porém, é um método que pode trazer uma visão em situações de urgência, quando é necessária uma tomada de decisão mais rápida.

Como é feito o cálculo para encontrar o ponto de ruptura contábil:

Financeiro

Para esse cálculo, são excluídos dos custos fixos a depreciação dos ativos e despesas não desembolsáveis, ou seja, aqueles valores que diminuem o lucro, mas não representam uma saída de caixa, como amortização e exaustão de ativos. São considerados gastos que representam um desembolso de dinheiro no caixa da empresa.

Os custos de depreciação podem ser representados por aqueles ativos cuja cotação inicial era determinado valor, e depois de alguns anos, seu preço é diminuído, por exemplo:

No início da empresa, determinado produto custava R$500, após algum tempo, esse mesmo produto atingiu o valor de R$300.

Para que você faça o cálculo do ponto de equilíbrio financeiro, utilize a fórmula:

Econômico

É aquele onde há uma correção monetária considerada junto às despesas fixas. Em outras palavras, nesse modelo, há o acréscimo de um valor de oportunidade, ou seja, um valor que pode ser investido e o empresário terá conhecimento de quanto poderá lucrar sobre essa quantia.

Dessa forma, o valor do ponto de equilíbrio econômico será aquele em que o empreendedor cobre os custos fixos da empresa mais esse valor.

Para realizar esse cálculo, é preciso somar os custos e despesas fixos com um custo de oportunidade de lucro, dividi-los pela margem de contribuição unitária.

A vantagem de realizar o cálculo do ponto de equilíbrio adicionando um custo de oportunidade, é que o gestor poderá ter noção do quanto ele precisará vender para que seus gastos sejam supridos e qual será sua margem de lucro.

Faça o cálculo do ponto de equilíbrio econômico seguindo a fórmula:

Esses modos de calcular o ponto de equilíbrio não são excludentes entre si e podem ser utilizados simultaneamente para que a empresa tenha diferentes visões a respeito da sua situação.

Para auxiliar nesse trabalho, a utilização de um software pode ser fundamental. Esse tipo de sistema minimiza a quantidade de erros, facilita o cálculo dos indicadores e dá maior credibilidade às informações.

Fatores imprescindíveis para calcular

Independente da forma escolhida, o empreendedor deve estar atento a alguns pontos que são absolutamente relevantes e influenciam diretamente no gerenciamento.

Despesas fixas

Um dos principais pontos de atenção da análise financeira de uma empresa é o cálculo de suas despesas fixas. Para não errar, é preciso considerar tudo aquilo que é essencial para manter seu negócio em atividade. Isso vale para qualquer segmento de mercado.

Entre os gastos que estão incluídos nas despesas fixas estão:

  • Aluguel dos imóveis onde a empresa funciona;
  • Água, luz e gás;
  • Serviços de limpeza;
  • Salário dos funcionários;
  • Materiais de escritório;
  • Segurança e manutenção.

Nesse cálculo não devemos incluir os custos de matéria-prima ou de produtos que retornarão ao mercado futuramente, nem comissão de vendedores. Esses itens são variáveis e devemos incluí-los no valor do produto para venda.

Margem de Contribuição

Margem de contribuição é o valor da diferença entre o preço de venda de um produto e os gastos variáveis necessários para sua comercialização. É esse montante que garante a cobertura dos gastos fixos, ou seja, é o fator mais relevante no cálculo do ponto de equilíbrio.

Essa margem de contribuição pode ser definida como unitária ou total, sendo a unitária calculada sobre a venda de uma única unidade de um produto ou serviço, e a total estimada para toda a capacidade produtiva da empresa.

Ponto de equilíbrio financeiro e a estratégia

Como vimos, o ponto de equilíbrio é um referencial muito importante no dia a dia dos negócios. É por meio dele que o empreendedor pode saber quanto precisa vender para custear suas operações sem ter prejuízo.

A partir dessa análise elementar, pode-se começar a trabalhar em outras decisões mais complexas, que têm impacto direto na definição de estratégias de atuação. Por exemplo, na definição de metas de vendas factíveis e que assegurem a sustentabilidade do negócio.

Para tanto, deve-se identificar a margem de contribuição unitária dos produtos e descobrir quais devem ser foco das principais ações de venda. Nem sempre os mais caros são os mais rentáveis. Quanto maior a margem de contribuição, maior será a importância do produto no atingimento do ponto de equilíbrio e, portanto, seus vendedores devem ser incentivados a priorizar a venda deles.

Um modo de se conseguir isso é estipular comissionamento mais agressivo para que os vendedores se sintam estimulados a oferecer e negociar seus itens mais lucrativos. Sem dúvidas, é uma estratégia que pode ajudar significativamente o crescimento de seu negócio.

Outro ponto interessante é a racionalização de despesas. Se o valor do ponto de equilíbrio do negócio for muito alto e não houver demanda suficiente para que as vendas cubram os gastos, você pode estratificar essas despesas e identificar quais são as maiores fugas.

Pode-se tentar a renegociação de contratos de aluguéis ou mesmo avaliar a mudança de local. Vale também implementar iniciativas que gerem economia de energia ou de água. Ou, em alguns casos, avaliar a necessidade de manter todos os colaboradores que atuam em funções administrativas.

O ponto de equilíbrio financeiro é um dos indicadores mais relevantes para o bom gerenciamento de uma empresa. Por meio de seu cálculo é possível conhecer a saúde das finanças de um negócio e também utilizá-lo como base para uma série de decisões estratégicas que interferem diretamente no êxito.

Quer ficar por dentro do melhor conteúdo de gestão empresarial? Siga-nos no LinkedIn, Facebook e Instagram!

Receba conteúdos exclusivos em seu email e fique por dentro das últimas novidades no ambiente empresarial!

Gabrielly Balão
Sobre o autor
Gabrielly Balão
Content Analyst no VHSYS. Formada em Relações Públicas e em busca de conhecimentos que agreguem e ajudem novos empresários.

deixe seu comentário

adicionar comentário
Cancelar

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário neste post. Seja o primeiro!

Visualizar mais
Rated 4.9/5 based on 11 avaliações

FECHAR

VHSYS - Sistema de Gestão Empresarial