O que são o E-social e REINF e qual o impacto na sua empresa?

João Jovanaci

O ambiente de negócios brasileiro é marcado pelo excesso de burocracia, que toma muito tempo de empreendedores e gestores, diminuindo assim a produtividade de seus negócios. Atento a esse problema, o Governo Federal desenvolveu ferramentas voltadas à desburocratização de processos, com destaque para o E-social e REINF.

O Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (E-social) e a Escrituração Fiscal Digital de Retenções e Outras Informações Fiscais (REINF) compõem o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped), que é uma solução tecnológica por meio da qual as empresas depositam e transmitem informações de natureza fiscal e contábil à Receita Federal.

Veja, a seguir, informações importantes sobre essas ferramentas!

E-social

O E-social é uma ação conjunta entre Receita Federal, Caixa Econômica Federal, INSS e Ministério do Trabalho. Ele foi implementado com o intuito de unificar as informações referentes à escrituração das obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas das empresas.

Por meio do E-social, as informações relativas ao vínculo dos trabalhadores com a empresa, à folha de pagamento, à contribuição previdenciária, à escrituração fiscal, ao recolhimento do FGTS, à comunicação de acidente de trabalho e ao aviso prévio são comunicadas eletronicamente pelas empresas ao Governo em apenas uma entrega.

Em termos práticos, as empresas devem enviar ao Governo informações periódicas e não periódicas, como admissões, férias e rescisões. Isso simplifica processos e aumenta a produtividade das empresas, pois o E-social substitui outras 15 obrigações.

REINF

Em complementariedade ao E-social, o Governo Federal instituiu a REINF. Enquanto o E-social é voltado para questões relacionadas à folha de pagamento da empresa, a REINF tem como foco específico as retenções do contribuinte que não tenham relação com o trabalho, como PIS, Cofins, IR, CSLL e INSS.

De modo específico, a REINF foi implementada para integrar as informações exigidas na Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta (CPRB), na Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social (GFIP) e na Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte (DIRF).

Em última instância, a REINF substitui a EFD-Contribuições. Além disso, ela abarca obrigações referentes a outros órgãos do Governo, como aquelas contidas no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) e na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).

Atente-se aos prazos do E-social e REINF

Tanto o E-social quanto a REINF se tornarão obrigatórios no decorrer de 2018. O Governo Federal definiu datas distintas para o início da obrigatoriedade de utilização dessas plataformas de acordo com o nível de faturamento das empresas.

O E-social se tornou obrigatório para as grandes empresas — aquelas que tiveram mais do que 78 milhões de reais de faturamento em 2016 — em 8 de janeiro de 2018. Para os demais empregadores e contribuintes, independentemente do valor de faturamento anual, a obrigatoriedade se inicia em 1º de julho de 2018.

A princípio, a implementação da REINF seguiria esse mesmo calendário, mas o Governo Federal prorrogou seus prazos. As grandes empresas passarão a utilizar o sistema a partir de 1º de maio de 2018, enquanto para as demais empresas a data estipulada foi 1º de novembro de 2018.

Pronto! Agora você já sabe o que são E-social e REINF, além dos benefícios que eles trarão para as empresas brasileiras. Quer receber mais informações importantes como essas? Assine nossa newsletter!

Fique por dentro das ultimas novidades no ambiente empresarial

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.

João Jovanaci
Sobre o autor
João Jovanaci
Analista de Marketing de Conteúdo na VHSYS, formado em Publicidade, Propaganda e Marketing.