Conecte-se ao empreendedorismo

8 erros na emissão de nota fiscal eletrônica para se evitar

Tempo de Leitura: 9 minutos
erros na emissão de nota fiscal eletrônica
ERP completo +  Conta PJ Integrada + Maquininha Stone com mensalidade zero

Supere seus concorrentes com a Gestão Integrada

Organize suas finanças e aumente suas vendas, tudo em um só lugar!

Descubra se alguns dos mais populares erros na emissão de nota fiscal eletrônica estão sendo feitos na sua operação e faça os ajustes necessários neste documento fiscal que é tão importante (e obrigatório) para todas as empresas!

A nota fiscal é um essencial para qualquer empreendedor! Esse é o documento que comprova a venda de produtos ou serviços, além de ser utilizada para fins de controle tributário. 

Entretanto, ainda é muito comum que alguns empreendedores cometam erros na emissão da nota fiscal eletrônica, o que pode causar problemas para o negócio no futuro. 

Por esse motivo, elencamos os 8 erros mais comuns na emissão de notas fiscais e algumas dicas para que você acerte na hora de emitir esse documento.

Confira!

8 principais erros na emissão de nota fiscal

Confira os mais famosos erros na emissão de nota fiscal eletrônica que os profissionais cometem para você monitorar e evitar essas situações na sua operação.

1. Confundir o tipo de nota fiscal

Esse é um dos erros que podem gerar diversos problemas para uma empresa, afinal, quando levamos em conta as características de cada NF, um erro pode resultar em problemas fiscais.

Neste sentido, o primeiro passo é entender para que serve cada um dos tipos disponíveis de emissão de nota fiscal. Para te ajudar, elencamos as características de cada uma delas: 

  • Nota Fiscal Eletrônica (NF-e): essa nota é utilizada para as operações comerciais entre empresas (B2B). A NF-e deve ser emitida obrigatoriamente em todos os estados brasileiros. A emissão dessa nota serve para comprovar a transação comercial, além de permitir o pagamento dos impostos.
  • Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e): essa nota substitui o antigo Cupom Fiscal e é utilizada nas vendas diretas ao consumidor final (B2C). A NFC-e é obrigatória em alguns estados, além disso, também permite que o cliente receba uma cópia digital da nota fiscal.
  • Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e): utilizada para comprovar a prestação de serviços e a cobrança de tributos municipais. Além disso, a NFS-e é obrigatória em alguns municípios brasileiros e pode ser emitida por empresas prestadoras de serviços.
  • Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e): essa nota é utilizada para comprovar a prestação de serviços de transporte de cargas. O CT-e é obrigatório em todos os estados brasileiros e deve ser emitido por empresas transportadoras.
  • Manifestação do Destinatário (MD-e): essa nota é destinada para confirmar ou não a operação comercial realizada pelo emitente da nota fiscal. A MD-e é obrigatória em alguns estados brasileiros e permite que o destinatário da nota fiscal confirme a sua participação na operação comercial.

Como você pôde notar, cada tipo de nota fiscal possui características próprias e você deve emiti-la de acordo com a situação comercial correspondente.

8 erros na emissão de nota fiscal eletrônica para se evitar

2. Colocar dados incorretos ou incompletos

Quando os dados da nota fiscal eletrônica estão incorretos ou incompletos, a empresa pode estar sujeita a multas e sanções por parte dos órgãos fiscais, como a Receita Federal e as secretarias da Fazenda dos estados.

Outro ponto importante deste erro, é que a emissão de uma nota fiscal eletrônica com dados incorretos pode prejudicar a imagem da empresa perante os seus clientes e fornecedores.

Neste sentido, é possível que a empresa gere insatisfação, perda de confiança e até mesmo a perda de parcerias.

Para evitar esses problemas, é fundamental que a emissão de notas fiscais tenham sua devida importância e sejam feitas com cautela. 

Para te ajudar a evitar alguns erros, separamos algumas dicas valiosas para você:

  • Capacitar a equipe responsável pela tarefa

Se você possui uma equipe responsável pela emissão das notas fiscais eletrônicas, garanta que esses profissionais conheçam as normas e regras estabelecidas pela legislação, para que eles emitam as notas fiscais corretamente.

  • Utilizar um software de gestão

Um software de gestão é capaz de automatizar a emissão das notas fiscais eletrônicas, pois neste caso, aderir a essa opção pode minimizar os erros humanos.

  • Revisar as notas fiscais eletrônicas 

A dica mais clássica de todas: revise suas notas antes de realmente emiti-las. Afinal, dessa forma você pode verificar se todos os dados estão corretos e completos.

  • Manter um cadastro atualizado de clientes e fornecedores

 evitando erros na emissão da nota fiscal eletrônica.

3. Não ter um certificado digital ou ser inadequado para a emissão

Quando não há um certificado digital válido, a empresa não tem como emitir notas fiscais eletrônicas, o que pode gerar multas e sanções por parte dos órgãos fiscais. 

Por consequência, esse problema gera falta de credibilidade da empresa com seus clientes, fornecedores e Receita Federal.

Entretanto, é importante que ao ter o certificado, ele não seja inadequado para a emissão de notas fiscais. Mas o que significa ter um certificado digital inadequado?

Os certificados inadequados se caracterizam por não possuírem a mesma natureza jurídica do CNPJ da empresa ou não serem compatíveis com o sistema utilizado para a emissão de notas fiscais eletrônicas.

Para evitar esses problemas, é fundamental que as empresas se atentem à adequação do seu certificado digital para a emissão de notas fiscais eletrônicas.

Para te ajudar, elencamos algumas dicas para não errar:

  • Adquirir um certificado digital adequado para a emissão de notas fiscais eletrônicas, que possua a mesma natureza jurídica do CNPJ da empresa.
  • Verificar se o certificado digital é compatível com o sistema utilizado para a emissão de notas fiscais eletrônicas, evitando problemas de incompatibilidade.
  • Renovar o certificado digital antes do seu vencimento, garantindo que a empresa possa continuar emitindo notas fiscais eletrônicas sem interrupções.
  • Realizar backups do certificado digital em locais seguros, evitando a perda do certificado em caso de problemas técnicos ou perda do dispositivo utilizado para armazenar o certificado, por exemplo.

4. Confundir DANFE e Nota fiscal eletrônica

É muito importante que os empreendedores estejam cientes das diferenças entre DANFE e Nota Fiscal Eletrônica para não cometerem erros na emissão de notas fiscais, o que pode prejudicar o negócio de diversas formas.

Para ficar mais claro, o DANFE (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica) é um documento impresso que acompanha a mercadoria em trânsito, contendo informações sobre a transação comercial e servindo como comprovante da emissão da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e). 

Já a Nota Fiscal Eletrônica é o documento eletrônico que comprova a realização de uma transação comercial entre empresas.

Confundir o DANFE com a Nota Fiscal Eletrônica pode gerar problemas para a empresa, como multas e sanções por parte dos órgãos fiscais.

Para evitar esses problemas, é fundamental que os empreendedores saibam as diferenças entre DANFE e Nota Fiscal Eletrônica. Para te ajudar a não errar nessa hora, separamos algumas dicas:

  • Utilize o DANFE apenas como um documento auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica, não como um documento válido para comprovação da transação comercial.
  • Certifique-se de que todas as informações contidas no DANFE estão corretas e correspondem às informações contidas na Nota Fiscal Eletrônica.
  • Armazene adequadamente tanto o DANFE quanto a Nota Fiscal Eletrônica, seguindo as normas e prazos estabelecidos pelos órgãos fiscais.
  • Utilize sistemas e ferramentas adequadas para a emissão de notas fiscais eletrônicas, que facilitem o processo de emissão e minimizem os erros.

5. Realizar manualmente a emissão de um alto volume de notas fiscais

A emissão de notas fiscais é uma obrigação de todas as empresas, mas quando o volume de transações é alto, realizar a emissão manualmente pode prejudicar o negócio. 

Isso porque, a emissão manual de notas fiscais é um processo mais demorado, sujeito a erros e pode consumir muito tempo e recursos da empresa.

Entre os principais problemas que a emissão manual de notas fiscais pode gerar estão a possibilidade de erros nos dados cadastrais do cliente, na descrição dos produtos ou serviços, na tributação, além de aumentar a possibilidade de extravio ou perda dos documentos. 

Esses erros podem gerar multas e sanções por parte dos órgãos fiscais e ainda gerar custos adicionais para correção e emissão de novas notas fiscais.

Para evitar esses problemas, é fundamental que as empresas automatizem o processo de emissão de notas fiscais. 

Afinal, esse é um dos motivos que empresas investem em softwares de gestão empresarial (ERP), pois esse recurso permite a emissão de grande volume de notas fiscais em poucos minutos, de forma segura e com baixo risco de erros.

Outra dica importante é investir em processos padronizados para a emissão de notas fiscais, incluindo a conferência dos dados cadastrais do cliente, a descrição detalhada dos produtos ou serviços, a correta tributação e a organização e armazenamento adequado dos documentos.

6. Não possuir um sistema de armazenamento de NF eficiente

Muitas vezes, a falta de um sistema de armazenamento de NF eficiente pode prejudicar o negócio, afinal, a falta de organização e controle pode gerar problemas como extravio, perda, mau estado de conservação ou até mesmo a destruição dos documentos fiscais.

Neste caso, as consequências podem ser grandes, já que podem gerar multas, sanções fiscais e prejuízos financeiros em caso de auditorias e fiscalizações. 

Para evitar esses problemas, é fundamental que as empresas adotem um sistema de armazenamento de NF eficiente, que permita a organização, controle e segurança dos documentos fiscais. 

Para te ajudar, separamos algumas opções para conter esse erro:

  • Utilizar um software de armazenamento de notas fiscais eletrônicas (NF-e) ou optar pela contratação de empresas especializadas nesse serviço.
  • Manter um arquivo físico organizado e atualizado com as notas fiscais impressas, separando-as por ano, tipo de documento e ordem numérica.
  • Realizar backup dos arquivos digitais periodicamente e armazená-los em locais seguros.
  • Realizar periodicamente uma conferência do arquivo digital com o arquivo físico, para garantir que todas as notas fiscais emitidas estejam armazenadas corretamente.
8 erros na emissão de nota fiscal eletrônica para se evitar

7. Esquecer de corrigir erros dentro do prazo limite

O erro em questão pode causar diversos problemas para o negócio, desde multas e sanções fiscais até problemas de credibilidade perante clientes e fornecedores.

Quando ocorrem erros nas notas fiscais eletrônicas (NF-e), as empresas têm um prazo limite para fazer a correção, que é de até 30 dias após a data de emissão. Caso o prazo seja excedido, o negócio pode ser penalizado com multas e sanções fiscais, o que pode afetar negativamente o fluxo de caixa e a reputação da empresa.

Outro ponto desse erro é que pode gerar transtornos para os clientes, que podem ter dificuldades para realizar a contabilização dos documentos fiscais e podem questionar a credibilidade da empresa. 

A longo prazo, essa situação pode prejudicar a relação da empresa com seus clientes e afetar sua competitividade no mercado.

Para te ajudar a não errar nesse processo, separamos algumas dicas:

  • Monitore as notas fiscais emitidas e verifique se há erros ou inconsistências.
  • Corrija os erros dentro do prazo limite de 30 dias após a emissão da nota fiscal.
  • Utilize um software específico para a emissão de notas fiscais eletrônicas, que possibilite a correção dos erros de forma rápida e eficiente.
  • Realize periodicamente uma conferência das notas fiscais emitidas e corrigidas, para garantir que não haja erros ou inconsistências.

Além desses passos, há o principal que é saber fazer a carta de correção corretamente. Separamos um vídeo para te ajudar nessa missão também:

8. Não realizar uma gestão de notas fiscais

A falta de gestão adequada pode gerar problemas graves, como perda de informações, atrasos na contabilização e emissão de documentos fiscais, o que pode prejudicar a reputação da empresa e acarretar em multas e sanções fiscais.

Essa gestão envolve todo o processo de emissão, recebimento, armazenamento, controle e análise desses documentos fiscais. É essencial que as empresas tenham uma visão clara e completa das suas operações, mantendo um registro organizado de todas as notas fiscais emitidas e recebidas.

A falta de gestão de notas fiscais pode gerar uma série de problemas, como:

  • Falhas na contabilização das operações e dificuldades para o pagamento de impostos.
  • Atrasos na emissão de notas fiscais, o que pode gerar atrasos no recebimento de pagamentos e comprometer a gestão financeira da empresa.
  • Perda de informações relevantes, como dados de clientes e fornecedores, que podem ser importantes para a tomada de decisões estratégicas.
  • Aumento do risco de fraudes e erros fiscais.

Como a automação ajuda o empresário a evitar erros na emissão de nota fiscal eletrônica?

Como você pôde notar, a automação da emissão de notas fiscais é um processo essencial para ajudar os empresários a não cometerem erros. Afinal, uma das principais vantagens da automação da emissão de notas fiscais é a redução de erros humanos. 

Com a utilização de um sistema automatizado, a emissão das notas fiscais é feita de forma rápida e precisa, evitando erros de digitação ou cálculo que poderiam gerar problemas futuros para a empresa.

Além disso, a automação da emissão de notas fiscais também ajuda a simplificar processos burocráticos.

Afinal, ao utilizar essa opção, é possível integrar informações de vendas, estoque e financeiras, permitindo que a emissão de notas fiscais seja feita de forma mais ágil e eficiente. 

Dessa forma, os empresários conseguem ter uma visão sistêmica do seu negócio, além de poder se concentrar em outras atividades importantes para o seu negócio, sem precisar se preocupar com tarefas repetitivas e demoradas.

Outra vantagem importante é a redução de custos operacionais. No caso da emissão de notas, por exemplo, o negócio não precisa mais contar com uma equipe de profissionais dedicados exclusivamente à emissão desse documento.

Além disso, a automação da emissão de notas fiscais também ajuda a evitar multas e outras penalidades associadas a erros na emissão de nota fiscal eletrônica. 

Com um sistema automatizado, a empresa garante que todas as informações estejam corretas e em conformidade com a legislação tributária, evitando problemas com o fisco e possíveis prejuízos financeiros.

Quer saber mais sobre emissão de notas fiscais eletrônicas?

Gostou do nosso conteúdo sobre erros na emissão de nota fiscal eletrônica? Pois então no blog da vhsys, você encontra ainda mais informações sobre gestão financeira e emissão de notas fiscais para facilitar mais os processos dentro do seu negócio!

Acesse aqui e veja nossos conteúdos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sistema de gestão online

Preencha os dados para iniciar
seu teste grátis de 7 dias no ERP vhsys.

Sistema de gestão online

Experimente grátis por 7 dias!