Conecte-se ao empreendedorismo

Como cancelar MEI: entenda o processo e o passo a passo

Tempo de Leitura: 10 minutos
Como cancelar MEI - entenda como realizar esse processo
ERP completo +  Conta PJ Integrada + Maquininha Stone com mensalidade zero

Supere seus concorrentes com a Gestão Integrada

Organize suas finanças e aumente suas vendas, tudo em um só lugar!

Você precisa cancelar o seu registro como Microempreendedor Individual (MEI)? Sabemos que essa é uma escolha importante e que é possível ter algumas dúvidas sobre como proceder. 

É necessário atender a alguns requisitos e seguir um passo a passo correto para evitar pendências ou problemas fiscais ao encerrar as suas atividades como MEI. Por isso, a seguir, vamos responder às principais dúvidas sobre esse processo:

O que é MEI?

Microempreendedor Individual (MEI) é a forma mais simples de abrir uma empresa no Brasil e obter um CNPJ para fazer transações comerciais, regular a situação fiscal de um negócio, emitir notas fiscais e ter direito a benefícios como aposentadoria, auxílio-doença ou auxílio-maternidade. 

É muito fácil e rápido abrir um MEI, pois a inscrição é gratuita e pode ser feita de maneira online no Portal do Empreendedor – site gerenciado pelo Governo Federal. Não é à toa que, só no primeiro quadrimestre de 2023, os MEIs representam 76,8% das empresas abertas nesse período. Os dados são do Mapa de Empresa, pesquisa disponibilizada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços.

Além disso, qualquer pessoa no Brasil pode se tornar um MEI, desde que cumpra estes requisitos:

  1. Ter um CPF válido
  2. Faturar até R$81 mil por ano
  3. Ter no máximo um funcionário
  4. Exercer atividade econômica permitida pelas regras para MEI
  5. Não ser dono ou sócio de outra empresa
  6. Não formar uma sociedade com outras pessoas
  7. Não ser funcionário público federal ativo – para servidores estaduais e municipais, é necessário verificar as regras da sua região

Quais as principais razões para cancelar o cadastro MEI? 

Segundo dados fornecidos pelo Sebrae, de todos os tipos de empresas, o Microempreendedor Individual é o que apresenta a maior taxa de mortalidade de negócios em até cinco anos da existência de um CNPJ. 

Os motivos para o cancelamento de um MEI podem ser muitos. Por isso, a seguir, exploraremos as principais razões pelas quais um Microempreendedor Individual pode optar por encerrar sua inscrição e detalharemos cada uma delas. 

É importante ressaltar que, independentemente da razão, seguir os procedimentos adequados para cancelar a inscrição é fundamental para evitar complicações fiscais futuras e cumprir as obrigações legais. Um ponto que facilita esse processo é que é muito fácil cancelar o MEI, pois todas as etapas têm fácil acesso e são feitas de forma online.

Encerramento da atividade

Uma das razões mais comuns para cancelar o cadastro MEI é o encerramento da atividade empresarial. Pode ocorrer que o empreendedor tenha iniciado seu negócio com boas intenções, mas, por diversos motivos, decidiu fechá-lo. Isso pode acontecer devido ao insucesso do empreendimento, mudança de planos ou qualquer outra circunstância que torne inviável a continuidade da atividade.

Nesse caso, é importante que o empreendedor siga os procedimentos adequados para o cancelamento da inscrição como MEI. Isso inclui o preenchimento e a entrega da Declaração Anual do Simples Nacional (DASN-SIMEI) e a comunicação do encerramento da atividade à Receita Federal. Dessa forma, evita-se a cobrança de impostos indevidos e outras obrigações fiscais.

Mudança de categoria de registro empresarial

Outra razão que pode levar ao cancelamento do cadastro MEI é a mudança de categoria empresarial. O MEI é uma categoria simplificada voltada para empreendedores individuais que faturam até R$81 mil por ano. No entanto, à medida que o negócio cresce, o empreendedor pode desejar expandir suas operações e passar para uma categoria empresarial diferente, como a de microempresa (ME) ou empresa de pequeno porte (EPP).

Nesse cenário, é preciso cancelar a inscrição como MEI e fazer a alteração para a nova categoria empresarial. Isso implica em uma mudança na forma de tributação e nas obrigações fiscais, que serão mais abrangentes do que as do MEI. No entanto, essa transição pode ser vantajosa para negócios em crescimento.

Alteração nas atividades realizadas pelo MEI

Para ser MEI, é necessário atender ao requisito de prestar uma das atividades previstas pelo CNAE para essa modalidade. Cada ocupação tem um código específico e regras relacionadas ao pagamento de imposto. 

Quando um MEI deseja mudar a sua atividade, não é possível realizar a troca no cadastro. Então, é necessário cancelar o MEI com a atividade antiga e fazer uma nova inscrição com a ocupação atual. 

Dificuldades financeiras

Nem todos os empreendimentos alcançam o sucesso desejado em um negócio, e muitos enfrentam dificuldades financeiras ao longo do caminho. Quando as finanças estão em estado crítico e a empresa não consegue mais se manter, o cancelamento do cadastro MEI pode ser a melhor opção para evitar mais prejuízos ou problemas fiscais. 

Ao cancelar a inscrição como MEI, o empreendedor deixa de ser responsável por pagar impostos e contribuições previdenciárias, aliviando o fardo financeiro. É importante, no entanto, que todas as obrigações fiscais em atraso sejam regularizadas antes do cancelamento, a fim de evitar problemas com a Receita Federal.

Incompatibilidade de atividades

Como o cadastro MEI está disponível apenas para empreendedores que realizam atividades que se enquadram nas categorias permitidas pelo programa. Existem regras estritas que determinam quais tipos de negócios podem ser registrados como MEI. Se um empreendedor mudar o foco de suas atividades para algo que não se enquadra nessas categorias, ele não poderá mais manter o cadastro como MEI e será necessário migrar para outro tipo de registro empresarial. 

Opção por outro regime tributário

Outra razão para cancelar o MEI é a mudança para outro regime tributário mais adequado às necessidades do negócio. O MEI é tributado de forma simplificada, com uma taxa mensal fixa que engloba impostos e contribuições previdenciárias. No entanto, à medida que o empreendimento cresce, pode ser vantajoso optar por um regime tributário diferente, como o Simples Nacional ou o Lucro Presumido.

Esses regimes oferecem vantagens fiscais e contábeis específicas que podem ser mais benéficas para empresas de maior porte. Nesse caso, o cancelamento do cadastro MEI é necessário para fazer a transição para o novo regime tributário e cumprir com as obrigações fiscais correspondentes.

Falta de interesse ou necessidade

Às vezes, um empreendedor pode simplesmente perder o interesse em manter o cadastro MEI. Isso pode acontecer por diversos motivos, como a descoberta de outras oportunidades de trabalho, a mudança de objetivos pessoais ou simplesmente a falta de motivação para continuar com o negócio.

Nesses casos, o cancelamento do cadastro MEI é uma escolha pessoal do empreendedor. No entanto, é importante lembrar que, ao cancelar a inscrição, ele perderá os benefícios previdenciários associados ao CNPJ, como aposentadoria e auxílio-doença.

Ultrapassar o valor total anual permitido

O MEI possui um limite de faturamento anual estabelecido em R$81 mil. Se um empreendedor ultrapassar esse limite em um ano fiscal, ele não poderá mais manter o cadastro de Microempreendedor Individual. Nesse caso, é necessário fazer o cancelamento da inscrição e buscar outras opções de registro empresarial que se adequem ao novo patamar de faturamento.

É importante notar que, ao ultrapassar esse limite, o empreendedor estará sujeito a multas e penalidades por não ter feito o cancelamento antes de atingir o limite estabelecido.

Desenquadramento da categoria

Por fim, outra situação que pode levar ao cancelamento do cadastro MEI é o desenquadramento da categoria. Isso ocorre quando o empreendedor deixa de atender a um ou mais requisitos necessários para manter o registro como MEI. Por exemplo, se ele contratar mais de um funcionário ou se tornar sócio de outra empresa, não poderá mais ser considerado um Microempreendedor Individual.

Nesse caso, o desenquadramento ocorrerá de forma automática, e o empreendedor deverá fazer a regularização da sua situação junto à Receita Federal para pertencer a outra categoria de registro empresarial.

Quais as principais dificuldades na hora de cancelar um MEI? 

Cancelar um MEI pode ser uma decisão necessária em algumas situações, mas é importante estar ciente das possíveis dificuldades que podem surgir durante esse processo. Embora o procedimento em si seja relativamente simples, há cuidados que devem ser considerados antes de tomar essa decisão. 

Débitos pendentes

Uma das principais dificuldades ao cancelar um MEI são os débitos pendentes. Mesmo que você decida fechar o seu negócio, todas as dívidas e obrigações financeiras relacionadas ao MEI devem ser quitadas. Isso inclui o pagamento de tributos mensais (DAS), que devem estar em dia. Se houver débitos acumulados, a Receita Federal pode dificultar o cancelamento ou mesmo cobrar multas e juros sobre os valores em atraso.

Portanto, antes de cancelar seu MEI, certifique-se de que não há dívidas pendentes e regularize sua situação fiscal. Isso ajudará a evitar problemas futuros e garantir um processo de cancelamento mais tranquilo.

Licenças municipais ou estaduais

Outra dificuldade que pode surgir ao cancelar um MEI está relacionada às licenças municipais ou estaduais. Dependendo do tipo de atividade que você exerce, pode ser necessário obter licenças específicas das autoridades locais ou estaduais. O cancelamento do MEI não dispensa a necessidade dessas licenças.

Antes de prosseguir com o cancelamento, verifique se todas as licenças exigidas estão em conformidade. Caso contrário, você pode enfrentar dificuldades legais ao encerrar o MEI.

Processos judiciais ou administrativos

Se você estiver envolvido em processos judiciais ou administrativos ativos, pode encontrar problemas ao cancelar seu MEI. Isso porque o cancelamento não encerra automaticamente esses processos. Então, é importante resolver qualquer pendência legal antes de prosseguir com o cancelamento, ou você poderá enfrentar complicações legais no futuro.

Desconhecimento dos procedimentos

Muitos empreendedores enfrentam dificuldades na hora de cancelar o MEI simplesmente porque desconhecem os procedimentos necessários. É fundamental entender os passos envolvidos no processo de cancelamento, como preencher os formulários corretamente e enviar a documentação necessária.

Para evitar esse tipo de complicação, recomenda-se buscar informações junto aos órgãos competentes, como a Receita Federal e a Junta Comercial da sua região. Além disso, contar com a orientação de um contador ou consultor especializado pode ser muito útil para garantir que tudo seja feito da maneira correta.

Documentação incompleta ou inadequada

A falta de documentação completa ou inadequada pode ser uma barreira durante a tentativa de encerrar o MEI. Certos documentos, como a Declaração Anual do Simples Nacional (DASN-SIMEI), são essenciais para formalizar o encerramento do negócio. Se esses documentos estiverem ausentes, incorretos ou incompletos, o processo de cancelamento pode ser interrompido.

Antes de iniciar o cancelamento, certifique-se de ter toda a documentação necessária em mãos e de que ela esteja corretamente preenchida.

Pagamento do DASN-SIMEI

Ao encerrar o MEI, é importante estar ciente de que será necessário efetuar o pagamento do DASN-SIMEI (Declaração Anual do Simples Nacional do MEI) referente ao ano em que você está encerrando suas atividades como MEI. Essa declaração deve ser entregue até o último dia de maio do ano seguinte ao encerramento, e nela você informará os rendimentos obtidos até a data do encerramento.

O valor do DASN-SIMEI deve ser calculado de acordo com os meses em que a empresa estava em atividade durante o ano fiscal. Portanto, mesmo que você encerre o MEI no meio do ano, ainda será necessário prestar contas dos meses anteriores.

Mudanças na legislação

As mudanças na legislação também podem representar uma dificuldade na hora de cancelar um MEI. A legislação tributária e empresarial está sujeita a alterações ao longo do tempo, e essas mudanças podem afetar os procedimentos e requisitos necessários para o cancelamento.

Portanto, é essencial manter-se atualizado sobre a legislação vigente e buscar orientação sempre que necessário para garantir que o processo de cancelamento esteja em conformidade com as leis atuais.

Tempo de processamento

Por fim, outra dificuldade que pode surgir é o tempo de processamento do cancelamento. Embora o procedimento em si seja relativamente rápido, a Receita Federal pode levar algum tempo para concluir o processo e efetuar o cancelamento efetivo do MEI.

Isso significa que, mesmo após enviar toda a documentação e cumprir os requisitos, você pode precisar aguardar algum tempo até que o MEI seja oficialmente cancelado. Durante esse período, é importante manter a documentação e as obrigações fiscais em dia.

Quais os requisitos utilizados para cancelar o MEI? 

Para cancelar o MEI é preciso atender a certos requisitos para que o processo de cancelamento seja realizado corretamente e sem problemas futuros. 

Aqui estão as principais exigências que você deve cumprir para cancelar o seu MEI:

  1. Estar em dia com as obrigações fiscais: isso significa que você deve ter pago todos os impostos mensais (DAS) em dia até a data do cancelamento. Certifique-se de que não há débitos pendentes relacionados ao MEI. Caso contrário, a Receita Federal pode impedir o cancelamento até que todas as obrigações sejam quitadas.
  2. Não ter empregado registrado: o MEI é uma modalidade empresarial que permite apenas a contratação de um único empregado. Se você tiver um funcionário registrado, será necessário encerrar os contratos de trabalho antes de cancelar o MEI. Certifique-se de cumprir todas as obrigações trabalhistas nesse processo.
  3. Não possuir dívidas fiscais em outros regimes: além de estar em dia com as obrigações fiscais do MEI, é importante não possuir dívidas fiscais em outros regimes tributários, como o Simples Nacional. Portanto, certifique-se de que todas as suas obrigações fiscais estejam em ordem.
  4. Não estar envolvido em processos judiciais: evite ter pendências judiciais relacionadas ao seu negócio. Se houver processos em andamento, é aconselhável resolvê-los antes de cancelar o MEI, pois o encerramento do CNPJ não cancela processos judiciais ou administrativos em que você esteja envolvido.

Como realizar o cancelamento do MEI? 

Cancelar o MEI é um processo simples e pode ser feito de maneira online seguindo este passo a passo:

  1. Verifique os requisitos: antes de iniciar o processo de cancelamento, confirme se você atende aos requisitos necessários. Certifique-se de estar em dia com as obrigações fiscais, não possuir funcionário registrado ou com pendências trabalhistas, verificar as atividades permitidas para MEI, não possuir dívidas fiscais em outros regimes e não estar envolvido em processos judiciais.
  1. Acesse o Portal do Empreendedor: Portal do Empreendedor é o ambiente online destinado aos MEIs. Você encontrará informações e serviços relacionados ao seu registro como MEI.
    1. Selecione o tema “Já Sou”
    2. Acesse o card “Baixa de MEI”
    3. Acesse o card “Solicitar baixa”
    4. Informe a Conta de acesso ao gov.br
    5. Informe os dados solicitados
    6. Revise o formulário
    7. Assinale a declaração de baixa
    8. Finalize
  1. Acesse a opção de DASN-SIMEI: agora é o momento de quitar débitos, então, dentro do Portal do Empreendedor, procure a opção relacionada à DASN-SIMEI (Declaração Anual do Simples Nacional do MEI).
  1. Preencha a declaração: preencha a DASN-SIMEI com as informações solicitadas. Certifique-se de informar a data de encerramento das atividades e fornecer os dados necessários de forma precisa.
  1. Emita o DAS: após o preenchimento da DASN-SIMEI, você poderá emitir o DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional) referente ao encerramento do MEI. Esse documento incluirá o valor a ser pago.
  1. Efetue o pagamento: realize o pagamento do DAS gerado. Certifique-se de pagar esse documento até a data de vencimento para evitar multas e juros.
  1. Envie a declaração: após o pagamento, envie a DASN-SIMEI preenchida e quitada. Isso formaliza o encerramento do MEI perante a Receita Federal.
  1. Receba o certificado de baixa: após o envio da declaração e o processamento pelo sistema da Receita Federal, você receberá o Certificado de Baixa do MEI. Guarde esse documento com cuidado, pois ele comprova o encerramento das atividades.
  1. Encerre eventuais licenças municipais ou estaduais: se você possuir licenças relacionadas à sua atividade, certifique-se de encerrá-las de acordo com os procedimentos estabelecidos pelas autoridades locais ou estaduais.
  1. Mantenha a documentação arquivada: por fim, é fundamental manter toda a documentação relacionada ao encerramento do MEI arquivada de forma segura. Isso inclui a DASN-SIMEI, o DAS quitado e o Certificado de Baixa. Esses documentos podem ser necessários para comprovar o encerramento das atividades em situações futuras.

Por que devemos guardar o certificado de baixa do MEI? 

Guardar o Certificado de Baixa do MEI é essencial e pode fazer toda a diferença no futuro. Afinal, este documento é a prova oficial de que o seu MEI foi encerrado de forma regular e pode ser necessário em diversas situações. Portanto, certifique-se de mantê-lo em um local seguro e de fácil acesso. Isso pode economizar tempo, dinheiro e preocupações, garantindo que você esteja sempre em conformidade com as obrigações legais.

1. Comprovação do encerramento

O Certificado de Baixa do MEI é a evidência de que você encerrou suas atividades como Microempreendedor Individual de acordo com a lei, o que é importante para evitar obrigações fiscais e legais futuras.

2. Evitar cobranças indevidas

Ao guardar o Certificado de Baixa, você pode evitar cobranças indevidas. Sem esse documento, caso a Receita Federal continue a enviar cobranças de impostos e contribuições, mesmo que você já tenha encerrado o MEI, você tem o Certificado para comprovar que não há mais obrigações a serem cumpridas.

3. Histórico fiscal

Manter o Certificado de Baixa ajuda a preservar o seu histórico fiscal. Isso pode ser útil para futuras referências, solicitações de crédito, financiamentos ou outras situações em que seja necessário demonstrar a regularidade do seu negócio anterior.

4. Reativar a inscrição

Em algumas situações, você pode desejar reativar sua inscrição como MEI. Nesse caso, ter o Certificado de Baixa facilitará o processo, pois ele mostrará que você já foi um MEI anteriormente e encerrou suas atividades conforme as normas.

5. Transações comerciais

Em negociações comerciais ou transações com outras empresas, o Certificado de Baixa pode ser solicitado para verificar o status do seu negócio. Ter esse documento em mãos pode evitar complicações e demonstra que você está em conformidade com a legislação.


Quer saber mais? Receba conteúdos exclusivos e fique por dentro dos principais assuntos do mundo do empreendedorismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sistema de gestão online

Preencha os dados para iniciar
seu teste grátis de 7 dias no ERP vhsys.

Sistema de gestão online

Experimente grátis por 7 dias!