O que fazer quando o “burnout” atinge sua equipe?

Fernando

O que fazer quando o “burnout” atinge sua equipe?

O estresse faz parte da rotina empresarial e, inevitavelmente, atinge todas as áreas. No entanto, o ritmo de trabalho que temos hoje tem resultado na chamada Síndrome de Burnout, prejudicando profissionais de todos os setores.

Se em sua empresa você identifica colaboradores sofrendo com essa condição emocional, esse artigo é para você. Acompanhe!

O que é o Burn out

Definido pelo psicólogo alemão Herbert J. Freudenberger, a “Síndrome de Burnout” é um distúrbio psiquico de caráter depressivo resultante de um esgotamento físico e metal ligado à vida profissional.

Este distúrbio atinge profissionais de diversas áreas e cargos, sendo mais comum em profissionais que lidam diretamente com o público e pessoas em cargos de gestão.

Principais sintomas

O esgotamento físico e emocional se reflete nas mudanças de comportamento. Os sintomas do burnout, em sua fase inicial, são semelhantes aos da depressão, como as mudanças de humor, ansiedade, agressividade, entre outras mudanças psicoemocionais.

No entanto, o que diferencia a depressão do burnout, é que na primeira, a pessoa tem maior submissão ao desânimo e sentimentos de culpa e derrota. Já na segunda, os sentimentos mais frequentes são os de desapontamento e tristeza em relação à vida profissional (ou atividades ligadas à vida profissional).

Além disso, a pessoa que sofre da Síndrome de Burnout também pode desenvolver sintomas físicos, como dores de cabeça, cansaço, oscilação de pressão, dores musculares, problemas respiratórios, cardiovasculares, distúrbios gastrointestinais e, até mesmo, alterações no ciclo menstrual.

Conheça o sistema de gestão empresaria VHSYS!

Quais são as causas?

Por ser um distúrbio que atinge, em sua maioria, profissionais que trabalham diretamente com o público, as causas mais comuns que desencadeiam o problema é o excesso de trabalho e desgaste emocional sem um satisfatório período de recuperação.

Outro fator que influencia no desenvolvimento do distúrbio está ligada às relações interpessoais no trabalho, provenientes de uma cultura organizacional tóxicaa.

Qual o papel da empresa em relação ao burnout?

Além da procura de ajuda profissional por parte do paciente, a empresa também deve mostrar-se solidária ao problema. O burnout pode acontecer com qualquer pessoa, a qualquer momento e, não cuidar do seu capital humano, é extremamente prejudicial não apenas para o profissional que sofre com o distúrbio, mas também para a própria empresa que deixa de condizer com os próprios valores, além de sujar sua reputação com seus colaboradores (employer branding).

Sugestões

Portanto, o primeiro passo é, em conjunto ao departamento de recursos humanos, reavaliar a cultura da sua empresa e o que é exigido dos seus funcionários.

Uma forma de prevenção à síndrome é o trabalho de coaching empresarial para a sua equipe. O coaching promove o aumento das potencialidades humanas para atingir os objetivos tanto pessoal quanto profissional do indivíduo.

Tudo isso indica que o fortalecimento das competências do indivíduo o ajuda a distanciar-se da síndrome.

Considerações finais

Todos nós estamos sujeitos ao esgotamento físico e emocional devido ao excesso de trabalho. No entanto, isso ainda pode ser evitado com uma comunicação honesta entre empregador e empregado, além das necessárias avaliações da cultura interna.

Como empresário, respeite os próprios limites. Como empregador, respeite os limites dos seus colaboradores.

Receba conteúdos exclusivos em seu email e fique por dentro das últimas novidades no ambiente empresarial!

Fernando
Sobre o autor
Fernando
Formado em Marketing e Coordenador de Marketing de Conteúdo na VHSYS.

deixe seu comentário

adicionar comentário
Cancelar

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário neste post. Seja o primeiro!

Visualizar mais
Rated 4.9/5 based on 11 avaliações