Conecte-se ao empreendedorismo

14 práticas para aplicar nas finanças corporativas

Tempo de Leitura: 5 minutos
14 práticas para aplicar nas finanças corporativas
ERP completo +  Conta PJ Integrada + Maquininha Stone com mensalidade zero

Supere seus concorrentes com a Gestão Integrada

Organize suas finanças e aumente suas vendas, tudo em um só lugar!

As finanças corporativas são uma das áreas que mais precisam de atenção nas pequenas empresas. 

É preciso muita organização e estratégia para garantir que o andamento do departamento financeiro esteja alinhado com os objetivos do negócio. Para isso, é necessário muito estudo, planejamento e utilizar as técnicas certas para gerir as finanças corporativas.

O que são finanças corporativas e qual sua importância?

Finanças corporativas é a área que cuida das decisões e tarefas que envolvem o dinheiro da organização, incluindo gestão de despesas, pagamentos, monitoramento das vendas, fluxo de caixa, gestão de capital de giro, investimentos, análise de crédito, orçamentos para os diferentes setores da empresa, entre muitas outras tarefas. 

Uma boa gestão financeira na empresa é muito importante para efetuar um planejamento eficiente de gestão de recursos e crescimento, além de gerir investimentos e fazer um plano de gerenciamento de risco. Tudo isso para permitir que o negócio continue funcionando ou crescendo, além de estar preparado para momentos mais críticos.

14 práticas para aplicar nas finanças corporativas

Como as finanças corporativas são cruciais para o sucesso de qualquer empresa, é preciso seguir algumas estratégias e diretrizes básicas para manter a gestão dessa área organizada e funcionando corretamente. 

A seguir estão algumas práticas financeiras que podem ajudar a melhorar a gestão da sua empresa:

1. Finanças pessoais e empresariais sempre separados

Um conhecimento que todos os empresários, principalmente os que estão começando a empreender, precisam aprender: é primordial manter as finanças pessoais e empresariais separadas. 

Quando isso acontece, fica difícil identificar com clareza as despesas e receitas da empresa, além de facilitar com que os negócios não consigam crescer e enfrentam dívidas pela má administração. 

O ideal é definir um pró-labore, que é como se fosse o salário dos sócios ou proprietários, a diferença é que é a gestão quem define as regras, podendo ser um valor fixo ou uma porcentagem em relação aos lucros, também pode ser pago mensalmente ou em outro período determinado.

2. Gestão de custos e lucros

Para ter uma gestão financeira eficiente é fundamental entender os custos e receitas da empresa, é o processo de monitorar e gerenciar a entrada e saída de dinheiro da empresa para entender os lucros que podem ser maximizados, além de reduzir despesas. 

Em outras palavras, a gestão de custos e lucros é muito importante para a tomada de decisões estratégias que vão permitir à organização gerenciar melhor seu dinheiro. 

Para fazer a gestão de custos e lucros de uma empresa, é importante seguir alguns passos:

  1. Analisar e categorizar todos os gastos da empresa, como despesas fixas e despesas variáveis.
  2. Controlar as receitas e vendas da empresa, identificando quais produtos ou serviços estão gerando mais lucro e quais devem ser melhorados.
  3. Identificar possível redução dos custos sem comprometer a qualidade das vendas.
  4. Estabelecer metas de vendas para ajudar a orientar as decisões estratégicas e de investimento.
  5. Analisar regularmente os resultados financeiros, comparando os custos e receitas previstos com os que de fato foram alcançados para definir melhorias.

3. Faça um diagnóstico da empresa financeiramente

Criar relatórios, acompanhar os dados, analisar os resultados e definir melhorias é um processo de avaliação que deve ser frequentemente em todas as áreas de uma empresa, principalmente no setor financeiro.

Afinal, acompanhar os ganhos e gastos da empresa é primordial para garantir que ela continue crescendo. 

4. Estabeleça auditorias periódicas 

Auditorias periódicas nas finanças corporativas são processos regulares de verificação das atividades que envolvem o dinheiro da empresa. O objetivo é garantir a segurança de todas as transações financeiras, a fim de identificar possíveis erros ou fraudes e garantir que tudo está sendo registrado e reportado corretamente.

As auditorias periódicas podem ser realizadas tanto internamente, por uma equipe de auditores internos, quanto externamente, por uma empresa especializada.

Uma auditoria pode ser feita de diferentes maneiras, analisando os lançamentos contábeis, verificando as contas a pagar e receber, considerando o registro de notas fiscais, avaliando os impostos e obrigações fiscais pagas, entre outras formas. 

5. Tenha um planejamento fiscal

O planejamento fiscal serve para avaliar as atividades e operações financeiras da empresa, além de determinar como é possível otimizar a sua carga tributária. Para isso, é preciso analisar as leis fiscais aplicáveis e planejar estrategicamente as ações, sempre com foco em minimizar o pagamento de impostos dentro dos limites legais.

6. Promova inovações com responsabilidade financeira

Inovar permite abrir portas para crescimento, mas é preciso agir com responsabilidade para garantir a segurança das finanças corporativas.

A inovação no setor financeiro pode incluir o uso de novas tecnologias, a implementação de processos ou o desenvolvimento de novos produtos financeiros para utilizar na empresa.

7. Busque as melhores condições em negociações de dívidas

Para driblar as dívidas ou preservar a saúde financeira da empresa, saber negociar dívidas é muito importante! No entanto, essa negociação pode ser um processo complicado, pois é preciso entender a situação da empresa, ter uma organização coerente das contas da empresa, monitorar prazos de pagamentos e contas a receber, além de ter uma boa relação com os credores e jogo de cintura para negociar. 

8. Procure antecipar pagamentos que oferecem descontos

Antecipar pagamentos que oferecem descontos é uma estratégia financeira inteligente que pode ajudar a reduzir o custo de dívidas e despesas. Para isso, é preciso ter uma excelente organização de pagamentos, verificar os termos e condições de cada pagamento, além de ter um ótimo controle financeiro para não desbalancear o caixa com pagamentos feitos antes do prazo. 

9. Acompanhe sempre as datas de faturamento 

Monitorar as datas de faturamento é uma prática essencial para gerenciar as receitas e garantir que as contas da empresa estejam em dia. 

É importante estabelecer um calendário de pagamentos e monitorá-lo regularmente para evitar atrasos e multas, além de construir um fluxo de caixa suficiente para cobrir as despesas e investir no negócio.

10. Estabeleça metas financeiras

Definir metas financeiras é imprescindível para ter um objetivo claro e orientar as ações da empresa. Lembrando que as metas devem ser realistas e específicas de acordo com a situação do negócio.

Utilizar metodologias de gestão empresarial é uma ótima forma de garantir planejamentos e metas mais coerentes. 

11. Analise dados financeiros para tomada de decisão

A análise de dados financeiros é uma prática importante para tomar decisões embasadas em dados corretos de todos os setores da empresa. Para isso, é necessário que todas as áreas sejam integradas e tenham o registro correto e preciso das atividades.

12. Priorize o capital de giro

Capital de giro é a quantia de recursos que a empresa precisa para manter suas atividades em funcionamento. É um dado que a gestão financeira deve monitorar frequentemente, além de ter um plano de ação para garantir que a empresa tenha o valor necessário e ainda construa uma reserva de capital para momentos de crise.

13. Faça uma precificação adequada dos produtos ou serviços oferecidos

A precificação adequada dos produtos ou serviços oferecidos é fundamental para garantir o funcionamento e o crescimento da empresa. Por isso, é importante considerar os custos envolvidos na produção ou prestação de serviços, estudar a concorrência e considerar o plano de negócios, pois uma precificação inadequada pode levar a prejuízos e comprometer a saúde financeira do negócio.

14. Faça investimentos de maneira organizada

Fazer investimentos é muito importante para o desenvolvimento da empresa, mas devem ser realizados de maneira organizada, com planejamento e muita responsabilidade. Para isso, é preciso planejar os investimentos, avaliar os riscos e retornos, detalhar as ações que serão feitas e monitorar os resultados. 

Como a tecnologia ajuda nas finanças corporativas?

Nas finanças corporativas, a tecnologia serve principalmente para garantir a segurança desse setor, agilizar os processos e permitir que os gestores possam tomar decisões com base em dados precisos. 

O principal sistema para controle financeiro nas empresas é o ERP, um sistema de gestão que integra todos os setores da empresa e tem recursos destinados para as finanças corporativas, permitindo fazer atividades como:

  1. Conciliação bancária
  2. DRE gerenciais
  3. Integração com setor de vendas e estoque
  4. Garantia da segurança das informações e transações financeiras
  5. Controle de contas a pagar e receber
  6. Monitoramento do fluxo de caixa
  7. Histórico de vendas
  8. Gestão de pagamentos 
  9. Automação das comissões de vendedores
  10. Acompanhamento de dados em tempo real
  11. Criação de relatórios em poucos clientes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sistema de gestão online

Preencha os dados para iniciar
seu teste grátis de 7 dias no ERP vhsys.

Sistema de gestão online

Experimente grátis por 7 dias!