Conecte-se ao empreendedorismo

Dicas para gerenciar seu capital de giro

Tempo de Leitura: 5 minutos
Se você é um empreendedor e quer aumentar a receita do seu negócio, você precisa entender o conceito de capital de giro. É por meio desse recurso que você conseguirá custear as despesas da sua empresa enquanto não obtém retorno do seu investimento inicial.

De acordo com o SEBRAE, a maioria das empresas que decretaram falência, o fizeram devido à má gestão financeira. Portanto, se você está iniciando o seu negócio, ou então, quer cuidar melhor das finanças do seu empreendimento, este artigo é para você.

Nele iremos discutir sobre um dos temas mais importantes na vida do empreendedor, o capital de giro. A Nossa discussão será guiada pelos seguintes tópicos:

Vamos lá?

O que é capital de giro?

O capital de giro é uma reserva de alta rotatividade que a empresa mantém para custear as despesas do negócio. Ele é muito importante, pois é ele que vai manter a operação em andamento, enquanto o valor investido pelo empreendedor não retorna ao caixa do empreendimento.

Para facilitar a compreensão desse termo, eu quero que você imagine dois cenários:

  • Primeiro cenário: A sua empresa realizou muitas vendas à prazo e você só receberá o pagamento no mês seguinte. Por conta disso, você não tem dinheiro o suficiente para arcar com os seus compromissos do mês atual.
  • Segundo cenário: você acabou de abrir o seu próprio negócio e o valor das suas vendas não são suficiente para custear as suas despesas mensais.

Nesses dois cenários, o que você poderia fazer para manter o seu negócio em andamento? Recorrer ao seu capital de giro. Dessa forma, você consegue cumprir com todas as suas obrigações e, assim que receber os pagamentos, repor o valor utilizado à sua reserva.

Quais são os tipos de capital de giro?

Agora que você sabe o que é capital de giro, chegou o momento de entender em quais categorias esse recurso pode se enquadrar.

Capital de giro negativo.

O capital de giro negativo é quando uma empresa não tem recurso o suficiente para custear as despesas da sua operação. Muitas empresas que estão passando por um período de crescimento podem apresentar esse tipo de capital de giro, visto que os investimentos realizados podem ser maiores que a receita gerada no período.

Contudo, se um empreendimento se mantém em capital de giro negativo por um longo período de tempo, isso pode ser considerado um sinal de alerta.

Capital de giro próprio.

O capital de giro próprio se dá quando uma empresa consegue arrecadar recursos o suficiente para não precisar de dinheiro de terceiros. Dessa forma, o empreendimento consegue dar andamento à operação de forma muito mais saudável (financeiramente).

Capital de Giro Líquido.

O capital de giro líquido é a quantia remanescente após subtrairmos os passivos circulantes dos ativos circulantes. Vale lembrar que imóveis e alguns bens que não possuem liquidez não devem ser levados em consideração nesse montante, uma vez que, no curto prazo, eles não podem ser convertidos em dinheiro para a empresa.

Investimento em Capital de Giro

O investimento em capital de giro nada mais é do que a reserva que uma empresa monta para cobrir as despesas de um investimento futuro. Esse montante pode ser adquirido por meio de aporte de sócios, empréstimos e entre outras fontes.

Como calcular o capital de giro da empresa?

Para manter a saúde financeira de um empreendimento, é importante descobrir qual é a quantidade necessária de capital de giro para as empresas. E para chegar até esse número, é necessário realizar o seguinte cálculo:

Necessidade de Capital de giro = Ativo Circulante – Passivo Circulante

Esses termos parecem estranhos para você? Calma, te explicaremos o que cada um deles significa.

Ativo circulante

O ativo circulante é todo recurso financeiro que pode ser liquidado em um curto período de tempo, dentro do ano fiscal (12 meses). Em resumo, é tudo aquilo que você pode transformar em dinheiro em um curto intervalo de tempo.

Os principais exemplos de ativos circulantes são: dinheiro em caixa, aplicações financeiras de curto prazo, despesas pré-pagas, mercadorias em estoque, matéria-prima e contas a receber.

Passivo circulante

Os passivos circulantes são todas as despesas que uma empresa precisa pagar, dentro do período de um ano fiscal. Um dos principais exemplos são: salário dos funcionários, despesas com fornecedores e infraestrutura, empréstimos com vencimento menor que 360  dias e impostos.

Agora que você entendeu o que é ativo e passivo circulante, vamos compreender o cálculo de capital de giro para empresas por meio de um exemplo prático. Imagine os seguintes números:

  • Dinheiro em caixa: R$ 350.000,00
  • Dinheiro em aplicações financeiras de curto prazo: R$100.000,00
  • Mercadoria em estoque: R$150.000,00
  • Despesa com fornecedores: R$75.000,00
  • Despesa com infraestrutura: R$25.000,00
  • Salário de funcionários: R$200.000,00

Qual a necessidade de capital de giro?

(350.000 + 100.000 + 150.000) – (75.000 + 25.000 + 200.000) = 400.000

De acordo com a fórmula, seu capital de giro seria de R$400.000,000.

5 Dicas para manter capital de giro eficiente

Para fazer uma boa gestão financeira da sua empresa, você precisa saber como gerenciar o seu capital de giro de forma eficiente. Para isso, separamos algumas dicas que serão úteis nesse processo. Observe abaixo.

Sistema de Gestão vhsys

1. Ter um bom planejamento

Ao iniciar um novo empreendimento, é necessário que você possua um bom planejamento. Dessa forma, você conseguirá entender quais serão seus custos, quem serão seus fornecedores, como funcionará o ciclo da sua operação e entre outros fatores.

Ter essas informações será de extrema importância na hora do cálculo do capital de giro, pois é por meio delas que você terá os dados necessários para definir o valor ideal a ser mantido em sua reserva de alta rotatividade.

2. Ter disciplina

Em complemento à dica anterior, a disciplina será imprescindível. De nada adianta você fazer um planejamento completo e preciso e não segui-lo. Dessa forma, para não perder o controle das finanças da sua empresa, é importante que você se mantenha firme no que foi definido anteriormente.

3. Saber negociar com fornecedores

Para manter uma empresa financeiramente saudável, um dos pontos mais importantes é saber negociar com os fornecedores. Os descontos e os prazos de pagamento que os seus fornecedores disponibilizam irão influenciar diretamente no montante que você deve manter em sua reserva.

4. Minimizar os custos

Sabemos que quanto menos gastamos, mais dinheiro teremos, certo? Essa dica pode parecer simples, mas ela é extremamente eficiente. Se você conseguir cortar custos desnecessários da sua operação, ou então, reduzir os gastos nas suas despesas, com certeza você necessitará de uma quantia menor para o seu capital de giro e poderá fazer mais investimentos em seu negócio.

5. Manter um bom fluxo de caixa

Por fim, mas não menos importante, temos o fluxo de caixa. É por meio dele que você consegue mapear quais os valores que você tem a receber e quais são as despesas de curto prazo. Essas informações irão influenciar diretamente o cálculo do capital de giro que a sua empresa necessita. 

Planilha Fluxo de Caixa

Portanto, ao fazer uma boa gestão do seu fluxo de caixa, consequentemente, você estará fazendo um gerenciamento eficiente da sua reserva de alta rotatividade.

Se esse conteúdo foi útil para você, compartilhe com um amigo e deixe o seu comentário no espaço abaixo 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Teste Grátis Hoje!

Clicando em ”Iniciar o teste” você concorda com nossos termos de uso