Afinal, o que é Ebitda? Saiba tudo sobre o indicador

Gabrielly Balão

Todo empreendedor tem o sonho de ver seu negócio prosperar e ganhar notoriedade suficiente para cumprir as obrigações financeiras, trabalhistas e fiscais, mantendo ainda uma boa rentabilidade.

Não é fácil, mas com as ferramentas corretas de gestão e medição da saúde financeira, é possível alcançar o sucesso com uma produtividade e um fluxo de caixa alinhados às estratégias traçadas no plano de negócio.

Uma dessas ferramentas é o indicador Ebitda, que proporciona a segurança necessária para tomar decisões. Neste post, vamos explicar a você, empreendedor em expansão, o que é Ebitda e como torná-lo aliado dentro da sua empresa e durante a apuração do lucro gerado. Acompanhe!

O que é Ebitda?

O conceito é simples e significa lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização. Esse indicador tem eficiência suficiente para facilitar o entendimento dos resultados apurados durante um período e, inclusive, ajuda a identificar a origem dos lucros e as causas possíveis de prejuízos.

É uma ferramenta que contribui para auxiliar o gestor em todas as decisões que envolvem receitas e despesas. A gestão empresarial começa muito antes de o negócio ser de fato inaugurado e requer algumas expertises diferenciadas de quem terá o poder de mudar os rumos em caso de risco de prejuízo.

Para que serve o Ebitda?

O Ebitda auxilia um gestor antes mesmo do final do exercício, quando normalmente se apura lucro ou prejuízo. Antes que impostos e reflexos financeiros causem impacto na performance, é viável utilizar o indicador durante o período de apuração, como um recurso de medição para alguma interferência necessária.

Durante o enraizamento do negócio é normal que erros e acertos aconteçam até que se estabeleça um equilíbrio e melhor controle. Com resultados obtidos na aplicação de um indicador como esse, é possível que você precise rever a precificação do seu produto ou serviço para não ter prejuízo.

Para a formação do preço você pode, por exemplo, se valer de outro índice eficiente: o Markup, que se for aplicado ao custo unitário de um produto ou serviço como margem de lucro, obtém um preço de venda.

O preço deve embutir as despesas, os impostos e os custos para, no final da apuração, gerar o lucro que vai permitir à empresa se manter a todo vapor. A equação é simples: custos + despesas + impostos + lucro = preço de venda.

Como calcular o Ebitda?

Antes de realizar o cálculo efetivo do indicador, você precisará saber qual é o lucro operacional da sua empresa e entender que ele é gerado pela receita operacional líquida com desconto dos custos, despesas administrativas, comerciais e operacionais. Toda a movimentação financeira precisa ser debitada para uma apuração correta.

Feito isso, é hora de aplicar a equação do Ebitda — lucro operacional antes do imposto de renda e receitas/despesas financeiras + depreciação + amortização — para obter o lucro operacional, que é a subtração a partir da receita líquida do CMV — custo de mercadoria vendida e das despesas operacionais.

Ao final, para calcular corretamente o Ebitda, será preciso aplicar a soma: lucro operacional + amortização + depreciação. Estas duas últimas são incluídas nos custos e despesas operacionais.

Vale salientar o conceito de outro indicador chamado Ebit, que é um demonstrativo do lucro operacional sem o resultado financeiro, juros sobre o capital próprio e dividendos e algum outro resultado não operacional do negócio. É o Ebit que aponta o lucro contábil considerando somente as atividades-fim.

É importante entender o conceito da depreciação porque ela não surge como uma despesa efetiva com reflexo de caixa, mas impacta todo o aspecto financeiro da sua empresa. Afinal, se um equipamento ao longo de um período de atividade perde a produtividade por desgaste do tempo, isso representa a perda expressiva no valor da produção que esse equipamento desenvolve.

A amortização aloca os valores amortizáveis ­— que podem ser diminuídos — como dívidas, e isso vale para os bens intangíveis constituídos dentro das questões legais e contratuais.

O Ebitda deve ser apurado em uma ação conjunta a outras análises e ter seu resultado comparado a todos os relatórios gerados em sua empresa. Ele permite uma mensuração consistente dos resultados da empresa, desconsiderando, durante o cálculo, os impactos financeiros que realmente não devem constar na apuração.

O Ebitda indica exatamente a situação em que a sua empresa se encontra — se ele aumenta, significa que o negócio está dentro da eficiência produtiva esperada, mas se diminui, há algum ponto fora da curva impedindo o crescimento —, o que dá embasamento para interferências pontuais e certeiras.

Entendendo o que é Ebitda e aplicando o seu cálculo de modo estratégico, ou seja, no momento correto e em equilíbrio com as outras apurações, a gestão financeira da empresa se torna mais eficiente e até fácil de analisar.

Para entender na prática o que é Ebitda, vamos apresentar um exemplo. Acompanhe abaixo para ver como é simples a aplicação desse eficiente indicador e a visualização dos resultados que ele produz.

Suponhamos que uma empresa tenha obtido uma Receita Operacional Bruta de R$ 24.000,00 e deseja saber se está caminhando bem com seu negócio. Partiremos de uma Demonstração do Resultado de Exercício (DRE) da empresa D para análise:

DRE da Empresa D
Receita Operacional Bruta: 24.000,00
(-) Deduções da Receita Bruta: (3.000,00)
(=) Receita Operacional Líquida: 21.000,00
(-) Custo dos Produtos Vendidos: (12.000,00)
(=) Lucro Bruto: 9.000,00
(-) Despesas Operacionais: (3.000,00)
Despesas com Vendas Administrativas: (2.400,00)
Resultado Financeiro: (2.000,00)
(=) Lucro Operacional: 6.000,00

Esses são os dados numéricos necessários para o cálculo do Ebitda:

DRE da Empresa D
Receita Operacional Bruta: 24.000,00
(-) Deduções da Receita Bruta: (3.000,00)
(=) Receita Operacional Líquida: 21.000,00
(-) Custo dos Produtos Vendidos: (12.000,00)
(=) Lucro Bruto: 9.000,00
(-) Despesas Operacionais: (3.000,00)
Despesas com Vendas e Administrativas: (2.400,00)
(=) Ebit: 6.600,00
(+) Depreciação e amortização: 600,00
(=) Ebitda: 7.200,00
(=) Ebitda em percentual da Receita Operacional Bruta: 30%

Quer um exemplo prático do Ebitda?

Em fevereiro de 2018, em seu site, a TOTVS S.A, empresa que desenvolve soluções de negócios, divulgou seus resultados tendo o Ebitda como um indicador de referência. As demonstrações financeiras consolidadas da companhia foram elaboradas de acordo com as Práticas Contábeis Adotadas no Brasil, em consonância com as Normas Internacionais de Contabilidade (IFRS). Veja os dados a seguir:

Receita Líquida: R$ 2.227,3 milhões em 2017 (+2,0% vs. 2016) e R$ 554,4 milhões no 4T17 (+0,8% vs. 4T16 e -1,4% vs. 3T17).

Receita Recorrente: R$ 1.466,4 milhões em 2017 (+8,7% vs. 2016) e R$ 374,1 milhões no 4T17 (+8,8% vs. 4T16 e +1,6% vs. 3T17).

Receita de Subscrição: R$ 307,9 milhões em 2017 (+34,3% vs. 2016) e R$ 86,4 milhões no 4T17 (+34,8% vs. 4T16 e +9,5% vs. 3T17).

Receita Recorrente Anualizada de Subscrição: R$ 368,0 milhões no 4T17 (+41,5% vs. 4T16 e +10,1% vs. 3T17).

Ebitda Ajustado: R$ 303,5 milhões em 2017 (-15,4% vs. 2016) e R$ 69,1 milhões no 4T17 (+13,8% vs. 4T16 e +11,0% vs. 3T17).

Lucro Líquido Ajustado: R$ 96,4 milhões em 2017 (-40,5% vs. 2016) e R$ 16,9 milhões no 4T17 (-43,2% vs. 4T16 e -21,6% vs. 3T17).

Geração Operacional Líquida de Caixa: R$ 329,8 milhões em 2017 (+26,6% vs. 2016) e R$ 90,6 milhões no 4T17 (+33,9% vs. 4T16 e +16,7% vs. 3T17).

Dívida Líquida: R$ 322,3 milhões em 2017 (-32,7% vs. 2016), correspondente a 1,1x Ebitda Ajustado de 2017 (vs. 1,3x Ebitda Ajustado de 2016).

Quais decisões podem ser tomadas a partir da análise do Ebitda?

São diversas as deliberações apoiadas em um indicador como o Ebitda, mas vale sempre salientar que ele, isolado, não vai gerar informações confiáveis para a tomada de decisão. Sendo assim, as ações precisam ser pautadas em um conjunto de resultados apurados por diversas fontes. Vejamos algumas possibilidades:

Visualização do grau de cobertura das despesas financeiras

Questionamento sobre o desempenho da empresa e se os resultados operacionais quitam as despesas financeiras geradas. A rentabilidade está adequada ou será necessário revisar a produtividade para suprir com uma boa margem de segurança?

Transformação e adequação de políticas financeiras

O foco é manter uma liquidez alta para chegar ao final de um período sem maiores preocupações sobre as despesas geradas. Quando surgem oscilações puxando para baixo um resultado que poderia ser positivo, rever comportamentos financeiros pode ser uma boa alternativa.

Monitoramento de estratégias financeiras empreendidas

Trabalhar preventivamente sempre será o melhor caminho para quem deseja ter sucesso e não ficar inerte diante de um surpreendente resultado negativo. O monitoramento evita que situações como essa ocorram e auxilia no alerta vermelho.

Observatório financeiro

Analisar a empresa em toda sua performance produtiva e financeira, bem como outras empresas (de um mesmo grupo ou não) promove ideias de ações corretivas sobre processos inadequados.

O Ebitda é confiável?

A resposta é sim na verificação de resultado lucrativo, se levar em consideração a operação da empresa. Porém, não deve ser utilizado como verdade absoluta e isolada de outras fontes, pois pode informar uma liquidez equivocada e transmitir ao gestor uma confiança não verdadeira.

Com o hábito natural de contrair financiamentos, pode ser que na apuração do Ebitda se presuma uma positividade que ao final no DRE aponte prejuízo líquido, e isso não é bom para tomadas de decisão sobre investimentos, compras e vendas.

Embora seja um indicador preciso e eficiente, tome muito cuidado com sua exclusividade. Ele não expressa, na íntegra, as perspectivas futuras de geração de caixa.

Quais são as vantagens e desvantagens de usar o Ebitda como indicador?

Como toda ferramenta financeira ou de gestão, suas vantagens para uma empresa podem representar desvantagens para outra, de acordo com as expectativas construídas para apuração. É importante atentar para essas variáveis.

Vantagens do Ebitda

  • é um indicador eficiente no apontamento numérico e comparativo quanto à produtividade positiva do negócio. Nos cálculos realizados, exclui a leitura contábil e financiamentos existentes;
  • o aumento do Ebitda demonstra o potencial produtivo da empresa;
  • é pertinente e saudável promover comparativos entre empresas nacionais e internacionais, observando os aspectos tributários locais. Isso ajuda na tomada de decisão;
  • mesmo quem não tem conhecimento aprofundado terá fácil entendimento;
  • é possível ter estimativas futuras de fluxo de caixa com o resultado obtido em exercícios passados;
  • é um indicador fiel para avaliar a rentabilidade da empresa, pois não apura todas as despesas de natureza contábil;
  • situações como a desvalorização da moeda são eliminadas do Ebitda por não considerarem as receitas e as despesas financeiras, garantindo uma visão clara e objetiva;
  • pode ser usado como referencial para fixação de metas de desempenho.

Desvantagens do Ebitda

  • o Ebitda positivo pode mascarar prejuízos financeiros. Mesmo sendo uma ferramenta importante de gestão, não deve ser utilizado como único recurso, pois, como não indica a liquidez da empresa, pode comprometer o caixa e os resultados reais futuros;
  • o Ebitda não é capaz de indicar a liquidez de uma empresa, que é um aspecto essencial para compreender o real valor desta.

Quais outros indicadores financeiros devem ser analisados com o Ebitda?

Já sabemos que o Ebitda é um dos diversos tipos de indicadores financeiros que devem ser utilizados por uma empresa, e esses índices precisam atuar em conjunto para referenciar qualquer tomada de decisão. Conheça alguns deles:

  • Índice de Liquidez Corrente: Ativo Circulante/Passivo Circulante;
  • Índice de Giro dos Estoques: Receitas/Estoques (em determinado período);
  • Prazo de recebimento médio de vendas: Recebíveis/Receitas anuais;
  • Índice de endividamento;
  • Índice de endividamento = Total de Passivos (Passivo Circulante + Exigível a LP)/Total de Ativos;
  • Margem de lucro líquido: Lucro Líquido/Receita de Vendas;
  • Retorno sobre o Ativo Total (ROA): Lucro Líquido/Ativo Total.

Viu como é importante apurar com segurança o desempenho da sua empresa para ter um controle financeiro eficiente e real? Agora que você sabe o que é Ebitda, tem informações suficientes para perceber que o uso desse indicador é um caminho positivo para que sua leitura seja preventiva e traga elementos para a ação corretiva.

Se este post despertou seu interesse em fazer um controle mais rigoroso e apurado dos resultados da sua empresa, baixe agora mesmo o e-book “Guia para novos empresários!” e encontre tudo o que você precisa saber para abrir e manter um negócio de sucesso!

Receba conteúdos exclusivos em seu email e fique por dentro das últimas novidades no ambiente empresarial!

Gabrielly Balão
Sobre o autor
Gabrielly Balão
Content Analyst no VHSYS. Formada em Relações Públicas e em busca de conhecimentos que agreguem e ajudem novos empresários.

deixe seu comentário

adicionar comentário
Cancelar

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário neste post. Seja o primeiro!

Visualizar mais
Rated 4.9/5 based on 11 avaliações