Quais são as vantagens e desvantagens do EBITDA como indicador financeiro?

Gabrielly Balão

O momento de apresentar e analisar os resultados obtidos chega para qualquer empresa, seja para fazer um balanço dos meses anteriores ou para verificar se todas as projeções foram alcançadas. E isso independe do tamanho da instituição.

A análise de resultados é uma ferramenta imprescindível para garantir uma gestão financeira eficiente de pequenos e grandes empreendimentos, garantindo também a saúde do negócio. Afinal, é por meio dela que é possível identificar quais são os aspectos que realmente proporcionam resultados positivos na sua empresa.

A margem EBITDA é um indicador financeiro utilizado pelos analistas para chegar ao percentual de lucratividade dos processos realizados.

E foi pensando nisso que, no artigo de hoje, vamos explicar o conceito e a importância para a empresa desse indicador, bem como listar quais são as principais vantagens e desvantagens do EBITDA.

Ficou curioso? Então continue a leitura!

e-Book gratuito: Guia para novos empresários – tudo o que você precisa saber para abrir um negócio de sucesso. Baixe!

Entenda o conceito do EBITDA

Muitos empreendedores desconhecem e até mesmo ignoram o conceito da margem EBITDA. No entanto, para aplicá-lo da forma mais eficiente, é essencial compreender o seu significado por completo.

A sigla origina-se do inglês. Se a traduzirmos para o português, temos algo como: lucros antes dos juros, impostos, depreciação e amortização.

Geralmente, o EBITDA é utilizado para refletir o percentual de recursos que o negócio gera por meio de todas as suas atividades operacionais.

De acordo com a própria sigla, esse índice desconsidera juros, impostos e amortização. Ou seja, as ações financeiras são desconsideradas nessa análise.

O estudo do indicador torna-se relevante para a empresa porque a avaliação isolada de dados, como lucro e despesas, são insatisfatórias para definir o real desempenho do negócio. Desse modo, a margem EBITDA é uma ferramenta muito útil para se identificar as operações que de fato geram lucro.

Agora que você já entendeu um pouco mais sobre seu conceito e sua importância para a empresa, confira vantagens e desvantagens do EBITDA. Veja a seguir!

Vantagens do EBITDA

Algumas das principais vantagens são:

  • Oferece uma régua muito útil para os analistas determinarem com maior exatidão a produtividade e, principalmente, a eficiência de um empreendimento, uma vez que não considera os efeitos das decisões contábeis e os financiamentos em seu cálculo;
  • Permite aos acionistas avaliar de forma coerente a eficiência e a produtividade da empresa quando utilizado de forma prolongada;
  • Possibilita, a partir da comparação dos dados e de informações provenientes do EBITDA de diferentes negócios, inclusive de diferentes áreas de atuação no mercado, a análise da competitividade ao desconsiderar o impacto dos custos de financiamentos, que podem ser extremamente altos em indústrias e empreendimentos que trabalham com tecnologia;
  • Permite a comparação com empresas de fora do país, por causa da facilidade de manipular as informações. O EBITDA é um indicador universal de desempenho, especialmente por desconsiderar aspectos como a localização e a tributação.

Desvantagens do EBTIDA

Mesmo sendo uma metodologia bastante utilizada e muito útil, ainda assim existem algumas desvantagens que se relacionam a esse recurso. Veja algumas informações sobre cada uma delas:

  • Ao utilizar apenas o EBITDA como indicador de desempenho, o alcance de uma análise eficiente pode ser prejudicado, comprometendo-se resultados e até mesmo o caixa no futuro;
  • As empresas que investem em ativos financeiros não são recompensadas ao utilizar apenas esse indicador, pois o analista não considera os ativos financeiros;
  • Não é possível determinar a liquidez de um empreendimento pelo EBITDA. Mensurar a capacidade de converter os investimentos em lucro é imprescindível para compreender por completo o desempenho de uma empresa;
  • Analistas sem muita experiência de mercado podem cometer um erro comum ao desconsiderar o prejuízo líquido da empresa quando a análise revela um EBITDA positivo.

Como efetuar o cálculo?

Para conseguir calcular o EBITDA, é preciso descobrir o lucro operacional, que é o resultado da subtração da receita líquida, dos custos dos itens comercializados, das despesas operacionais e das despesas financeiras líquidas (despesas menos as receitas provenientes de juros e itens financeiros).

e-Book gratuito: Guia para novos empresários – tudo o que você precisa saber para abrir um negócio de sucesso. Baixe!

Em seguida, é preciso adicionar ao lucro operacional a depreciação e a amortização referentes ao custo das mercadorias vendidas e aos custos operacionais, já que esse cálculo não constitui uma redução efetiva no caixa no período. Também é preciso somar a despesa financeira líquida, ou seja, acrescentar juros, amortização e depreciação ao lucro operacional antes dos impostos.

Exemplo prático

Acompanhe um breve exemplo prático que criamos para ilustrar a equação! Supondo que a empresa XY apresente os seguintes dados:

  • Despesas gerais: R$ 2.000,00;
  • Despesas de Vendas: R$ 3.100,00;
  • Despesas administrativas: R$500,00;
  • Despesas com depreciação: R$300,00;
  • Despesas com amortização: R$ 400,00.

O primeiro passo é somar todas as despesas e os custos operacionais:

R$ 2.000,00 + R$ 3.100,00 + R$ 500,00 + R$ 300,00 + R$ 400,00= R$ 6.300,00

Em seguida, é preciso efetuar o cálculo do lucro operacional líquido:

Lucro operacional líquido = receita operacional líquida – (despesas operacionais + custos dos itens vendidos).

Levando em conta uma receita líquida de R$ 18.000,00, um custo de R$. 1.000,00 em relação aos itens vendidos e despesas operacionais que somam o valor de R$ 6.300,00, temos a seguinte equação:

LCL= R$18.000,00 – (R$ 6.400,00+ R$ 1.000) = R$ 10.500,00.

Por fim, para chegar ao cálculo do EBITDA, é preciso considerar os resultados do lucro líquido (R$ 10.500,00) + depreciação (R$ 300,00) + amortização (R$ 400,00). O resultado da empresa XY é: R$ 11.200,00.

Para ter sucesso, é fundamental usar o EBITDA em uma empresa, mas lembre-se de não deixar de utilizar outros indicadores. Associando-o a outros recursos para, por exemplo, avaliar a indicação da liquidez da instituição, é possível alcançar resultados confiáveis para avaliar a situação real da sua companhia.

Assim, em resumo, a análise correta do percentual EBITDA é muito útil para avaliar o desempenho da empresa no mercado de atuação dela. No entanto, é imprescindível utilizar o recurso dentro de um contexto e junto a outros indicadores e ferramentas.

E então, entendeu quais são as principais vantagens e desvantagens de utilizar esse indicador financeiro e como efetuar a equação da maneira correta?

E a sua empresa, ela já utiliza essa ferramenta?

Não deixe de compartilhar sua opinião ou dúvida nos comentários abaixo!

Receba conteúdos exclusivos em seu email e fique por dentro das últimas novidades no ambiente empresarial!

Gabrielly Balão
Sobre o autor
Gabrielly Balão
Content Analyst no VHSYS. Formada em Relações Públicas e em busca de conhecimentos que agreguem e ajudem novos empresários.

deixe seu comentário

adicionar comentário
Cancelar

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário neste post. Seja o primeiro!

Visualizar mais
Rated 4.9/5 based on 11 avaliações