Conecte-se ao conhecimento

O impacto do dólar nas pequenas empresas: como proteger seu negócio

Quem tem o hábito de acompanhar os jornais diariamente, com certeza, se depara com as informações do dólar e sabe que, do dia para a noite, a cotação pode mudar significativamente, impactando a economia.

Mesmo não trabalhando com a moeda norte-americana diretamente, você sabe dizer quais são os impactos que ela pode ter causar à sua empresa? Sabe como proteger seu negócio desse possíveis impactos?

Se não sabe a resposta para as perguntas acima, fique tranquilo. Neste post, você vai encontrar essas e muitas outras. Dá uma olhada:

Por que a moeda americana é referência?

Você já se perguntou o que faz do dólar a moeda referência monetária internacional?

Muitos acreditam que é por conta da economia americana ser a maior do mundo, além do fato dos Estados Unidos ter se consolidado como a maior potência após a Segunda Guerra Mundial.

Mas será que é só isso?

Saiba um pouco mais no próximo tópico.

Cenário internacional antes do fortalecimento do dólar

Sabemos que o dólar, hoje, é uma referência internacional, mas nem sempre foi assim.

Durante a segunda metade do século 19, quem tinha esse papel era a libra esterlina, do Reino Unido. Hoje, apesar da libra não ser mais moeda de referência, ainda é mais valorizada do que o dólar, sendo uma das mais caras do mundo.

Um pouco depois, ao longo do século 20, após a Primeira Guerra Mundial, o dólar americano foi ganhando espaço com o aumento de sua participação no comércio exterior.

Atualmente, essa moeda é utilizada para a maioria das grandes movimentações de dinheiro no mundo, principalmente no que diz respeito a commodities, matérias-primas básicas utilizadas na produção de produtos de maior valor agregado, como soja, milho, petróleo etc.

Mas você sabe por que a moeda norte-americana tem uma oscilação constante? É sobre isso que vamos falar a seguir.

Oscilação no dólar: Entenda a montanha russa

Antes de partimos diretamente para os motivos que causam esse sobe e desce no preço da moeda norte-americana, vamos conhecer os tipos de dólares que existem no mercado: 

Dólar Paralelo

Como o nome sugere, essa moeda circula paralelamente no mercado, ou seja sua circulação não é oficial. Ele se popularizou aqui no Brasil na década de 1990 (período de instabilidade na economia).

O tempo foi passando e o uso dessa moeda se associou à operações fraudulentas, pois negociações clandestinas não são reconhecidas pelo Banco Central. Ou seja, fique longe desse tipo de transação.

Dólar Comercial

Utilizado por empresas e instituições financeiras, esse dólar tem um alto volume de transações, fazendo com que seja o mais barato. Normalmente, ele é usado para efetuar importação e exportação de mercadorias. 

A cotação do dólar comercial é usada como referência quando o governo movimenta dinheiro no exterior. Pode ser usado também quando brasileiros que moram fora solicitam empréstimo.

Dólar Turismo

Pretende viajar para fora do país? Sua atenção deve estar no dólar turismo então! Essa é a moeda comprada por pessoas físicas em casas de câmbio para a troca de dinheiro em espécie.

O valor dele costuma ser relativamente alto, pois o seu volume em cada transação é pequeno. 

Motivos da alta do dólar em relação ao real

Aqui no Brasil, em nossa política monetária, usamos um modelo de câmbio que permite a variação constante do dólar, conhecido como “câmbio flutuante.”

As taxas de câmbio dentro desse regime são determinadas de acordo com a oferta e demanda do mercado. Ou seja, quem controla os preços da moeda é o mercado. Quando necessário, os governos têm permissão para interferir na cotação.

Dá uma olhada nos principais motivos que levam à alta do dólar:

  • Juros dos Estados Unidos: juros americanos nas alturas significam mais investidores levando seu dinheiro para fora do Brasil, por conta da alta nos rendimentos lá fora. 
  • Gastos de brasileiros no exterior: gastos de turistas brasileiros em outros países é sinônimo de saída de dinheiro daqui para os Estados Unidos. Assim, a demanda pela moeda americana aumenta, pois precisam de dólares para gastar no estrangeiro.
  • Déficit da balança comercial: quando a importação brasileira está maior que a exportação, automaticamente a oferta do dólar cai, subindo a cotação da moeda.

Motivos da queda do dólar em relação ao real

Aplicando ao contrário os mesmos fatores da alta do dólar, temos os motivos que explicam a queda em relação ao real:

  • Juros do Brasil: nos momentos em que os juros brasileiros sobem, os rendimento aqui são maiores, atraindo os investidores a trazerem seu dinheiro para cá.
  • Gastos de turistas estrangeiros: estrangeiros no Brasil fazem com que aumente a oferta do dólar e a demanda por real. Em outras palavras, os gastos dos turistas aumentam e contribuem para a queda do dólar em relação ao real.
  • Superávit Comercial: momentos em que o aumento da oferta se dá pelo aumento de vendas de empresas brasileiras no exterior, fazendo com que aumente a entrada de dólares no país.

Além desses motivos, também existem as crises que oscilam a cotação da moeda. 

O dólar e a crise do Covid-19

A declaração feita pela OMS sobre a pandemia do novo coronavírus se tornou o principal motivo da desestabilização da economia mundial. Com isso, houve uma grande desvalorização das moedas de países emergentes.

Aqui no Brasil, por exemplo, o dólar comercial alcançou um patamar histórico, no dia 7 de maio de 2020, fechando em R$5,84. De acordo com o Banco Central do Brasil, desde o início do ano, a moeda apreciou cerca de 37%.

E tudo isso tem uma explicação.

Nesses momentos de crise, os investidores compram em massa títulos do tesouro americano, pois consideram uma das únicas alternativas seguras, pensando na preservação capital. Assim, essa alta procura justifica o aumento no preço da moeda.

Mas não é sempre que o dólar é vantajoso para investimento.

Sabendo da ameaça à economia mundial devido a pandemia, a China, uma das maiores exportadoras e uma das maiores economias globais, pode ser prejudicada, e isso pode afetar o mundo todo.

Ou seja, assim que os impactos forem realmente visíveis, a tendência é de que o número de pessoas comprando dólar apenas para se defender desses efeitos, diminua significativamente. 

Como proteger a empresa nesses momentos de instabilidade? Veja no próximo tópico.

Saiba como proteger sua empresa dos impactos causados pela alta do dólar

Com a oscilação constante do dólar, realmente fica difícil prever os possíveis impactos que a empresa pode sofrer com isso. Porém, existem algumas práticas que ajudam a driblar os prejuízos em momentos de alta da moeda. 

Confira:

1 – Acompanhe as notícias

Apesar de parecer meio óbvio, é extremamente importante ficar de olho ao cenário e às tendências, nacionais e internacionais, para saber o comportamento do dólar e adiantar algumas atitudes, como, por exemplo, fazer uma nova precificação dos produtos

2 – Mantenha uma margem ao precificar os produtos

Sabendo do cenário instável da moeda norte-americana, calcule a estrutura de seus produtos já considerando uma margem para absorver a flutuação do dólar, mantendo uma precificação atrelado à cotação da moeda. 

Outra atitude válida também é manter os orçamentos dos clientes a curto prazo, possibilitando o reajuste de preço, se necessário. Quando ajustar o valor de seus produtos, lembre-se de ser o mais transparente possível com seus clientes, explicando o motivo do reajuste. Isso ajuda a ganhar ainda mais confiança do seu público.

3 – Verifique a possibilidade de troca de fornecedores

Busque no mercado interno produtos que possam substituir os materiais que você importa. Caso sua empresa seja uma importadora e não é possível substituir por mercadorias nacionais, tente negociar desconto, preço e prazos de pagamento.

Essa ação te ajuda a não repassar um alto reajuste para seus clientes e você não corre o risco de perdê-los para a concorrência.


Gostou do artigo? Tem alguma dúvida ou sugestão? Comente abaixo!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Assuntos relacionados

Cadastro Newsletter

Fique por dentro dos principais assuntos do mundo do empreendedorismo. Atualize seus conhecimentos, baixando materiais como ebooks, planilhas, vídeos e muito mais.