Salário líquido: como calcular?

05.11.2019

Antes de firmar um contrato de trabalho no modelo CLT, já na entrevista, é acordado entre as partes o valor do salário que será pago ao empregador.

Esse valor apresentado é chamado de salário bruto, que também é conhecido como salário base. Essa quantia não é a que efetivamente é recebida pelo colaborador, o que de fato ele recebe é o chamado salário líquido. 

Então, basicamente, o salário líquido é o restante do valor que sobra do salário bruto menos os descontos que incidem sobre ele.

Quer aprender a fazer o cálculo do salário líquido e saber quais são os desconto que incidem sobre o salário bruto? Acompanhe o nosso post então 😉 

Como fazer o cálculo do salário líquido?

Para facilitar o cálculo do salário líquido, é preciso saber o valor do salário bruto e todos os benefícios que a empresa concede ao funcionário. Assim, fica mais fácil de compreender o holerite.

É muito importante para a empresa e para o funcionário saber calcular o salário, pois evita equívocos e eventuais problemas que possam acontecer.

Agora, vamos entender os descontos?

INSS

O valor é destinado ao Instituto Nacional do Seguro Social, as contribuições mantém a Previdência Social, que é a responsável por pagar as pensões, auxílio-acidente e afins. O desconto varia de acordo com faixas salariais (a referência é o salário base):

  • Até R$ 1.751,81: 8%
  • De R$ 1.751,82 a R$ 2.919,72: 9%
  • De R$ 2.919,73 até R$ 5.839,45: 11%

O valor de R$ 5.839,45  é o teto da contribuição: para qualquer salário base superior a esse, a contribuição será de R$ 642,33 (o teto).

Além do INSS, outro imposto que incide sobre o salário que já sofreu a dedução do INSS é o Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF).

Sendo assim, o IRRF incidirá sobre o salário bruto menos o INSS. Ele também varia com a faixa salarial e é de 7,5% a 27,5%:

>> Entenda como fazer a retirada pro labore

IRRF

IRRF quer dizer Imposto de Renda Retido na Fonte. Trata-se da porcentagem já descontada na folha de pagamento. O cálculo também é baseado no salário bruto, já com o desconto do INSS. 

Faixas do IRRF sobre o salário

  • Salários de até R$ 1.903,98: Isento
  • Salários de R$ 1.903,99 a R$2.826,65: 7,5%
  • Salários de R$ 2.826,66 a R$3.751,05: 15%
  • Salários de R$ 3.751,06 a R$4.664,68: 22,5%
  • Salários acima de R$4.664,68: 27,5%

FGTS

O valor referente à contribuição para o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) aparece no contracheque do empregado, no entanto, é a empresa quem paga, não havendo desconto no salário do funcionários.

>> Entenda como funciona o cálculo dissídio retroativo

Exemplo prático:

Para exemplificar como isso acontece na prática, montamos o exemplo abaixo:

Demais descontos

Fora esses descontos citados acima que são obrigatórios, existem outros que podem ser considerados, dependendo da organização da empresa e dos benefícios ofertadas por esta. Por isso, é preciso considerar caso a caso para se fazer o cálculo correto.

Ficou com alguma dúvida com relação ao assunto? Comente este post!

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conheça o VHSYS

Sistema de

Gestão Completa VHSYS

Emita Notas Fiscais

Gerencie as Vendas

Controle o Estoque

Organize seu Financeiro

Saiba mais
Desbloquear conteúdos

Torne-se um empreendedor de sucesso. Tenha acesso aos nossos conteúdos exclusivos gratuitamente.