Conecte-se ao empreendedorismo

Principais termos que todo empreendedor precisa conhecer

Tempo de Leitura: 4 minutos
O empreendedorismo está presente quando alguém identifica uma grande oportunidade e se aproveita dela para criar o seu próprio negócio inovador e impactar de alguma forma a sociedade.

Com o crescimento econômico e a expansão dos setores de trabalho, a formação empreendedora tornou-se mais presente na busca por produtos e serviços transformadores e responsáveis. 

Existem pessoas com maior espírito empreendedor do que outras. Em consequência, esse diferencial resulta em maior predisposição na criação de negócios e na conversão dessas ideias.  

Mas por onde começar no gerenciamento do seu negócio? Quais definições são essenciais para colocá-lo em prática? Continue neste artigo e saiba mais sobre o processo empreendedor a partir dos seguintes tópicos:

Quais são as etapas do processo de empreendedorismo?

O processo de empreendedorismo está diretamente relacionado à criatividade em realizar mudanças e à inovação na criação de produtos ou serviços que atendam às necessidades da sociedade. 

A identificação de oportunidades é um fator determinante para que um negócio seja criado e cabe ao empreendedor realizar as etapas necessárias para a obtenção de seu sucesso. 

Dessa forma, o processo de empreendedorismo pode ser dividido em quatro etapas:

 Identificação e avaliação de oportunidades

Esta etapa consiste em encontrar uma oportunidade e analisá-la de acordo com as necessidades de mercado, a existência da concorrência e o ciclo de vida do produto ou serviço. 

É interessante a realização de pesquisas com potenciais clientes para avaliar se o produto ou serviço é realmente diferenciado, impactante e útil na solução das dores do consumidor. 

Um exemplo para essa avaliação é realizar a análise SWOT, que nada mais é do que analisar forças, fraquezas, ameaças e oportunidades relacionadas ao seu produto ou serviço em relação ao seu mercado de consumo. 

Desenvolvimento do plano de negócios

O desenvolvimento do plano de negócios é muito importante para definir quais serão os tripés do seu empreendimento e quais direções serão tomadas em sua gestão.  

Esse documento sintetiza toda a essência da sua marca, a identidade da sua organização, a sua estratégia de negócio, quem são os seus consumidores e concorrentes, dentre outros tópicos. 

Um bom planejamento resulta em melhor administração de seus recursos e melhor aproveitamento de suas receitas, reduzindo desperdícios de matéria prima e de dinheiro. 

Determinação e captação de recursos

Após o planejamento, é hora do empreendedor definir estratégias para realizar o financiamento e encontrar investidores para o seu negócio.

O financiamento pode ser realizado por meio do empréstimo em bancos ou com conhecidos, assim como através de acionistas que optaram por investir em seu produto ou serviço. 

Amigos e familiares são pessoas que contribuem bastante nesse primeiro momento do negócio. 

Gerenciamento da empresa

O gerenciamento da empresa é o último passo, entretanto, o mais importante. É quando o seu negócio vai de fato funcionar e, assim como uma engrenagem, tudo deve estar encaixado. 

Dessa forma, o empreendedor deve identificar as necessidades de contratação, recrutar funcionários bons e competentes para suas funções gerenciais e otimizar processos em busca do lucro.

Essa gestão é um processo constante, que deve estar sempre em análise e em interpretação dos dados, buscando a melhoria contínua, a redução de desperdícios e a eficiência dos processos.  

Principais termos

Algumas expressões são necessárias para o gerenciamento eficaz do seu negócio. Confira a seguir os principais termos do mundo do empreendedorismo:

Benchmarking: pesquisa entre uma empresa e suas concorrentes para a comparação de seus processos, projetos, produtos, serviços e realizar melhorias. Pode haver o contato direto com o concorrente ou não.  

B2B (Business to Business): empresas que oferecem serviços para outras ou transações comerciais realizadas entre empresas. 

B2C (Business to Consumer): empresas que oferecem serviços para consumidores ou transações comerciais entre empresas – indústrias, distribuidoras ou revendedoras – e consumidor final através de e-commerce (lojas virtuais).

Capital de Giro: finanças que a empresa possui para pagar as despesas cotidianas de operação e outros processos imprevistos necessários para o negócio a longo prazo. É utilizado principalmente em momentos de crise. 

Cold-Call: ligação telefônica que um vendedor realiza para convencer pessoas a adquirir um produto ou serviço desconhecido de uma empresa. 

Funil de Vendas: caminho que um cliente em potencial percorre para se tornar um cliente real e adquirir um produto ou serviço. A jornada se inicia no aprendizado e descoberta, segue para o reconhecimento do problema, para a consideração da solução e, enfim, para a decisão de compra. 

MEI (Microempreendedor Individual): figura jurídica considerada um pequeno empresário, que fatura até 81 mil reais por ano, não possui participação em outra empresa e possui no máximo um empregado contratado. 

Métricas: sistemas de medidas utilizados para quantificar e analisar o desempenho de estratégias de comunicação, principalmente de Marketing, desde campanhas publicitárias até postagens avulsas nas redes sociais. 

Networking: estabelecimento de uma rede de contatos por meio da troca de informações entre pessoas, empresas ou grupos, com o intuito de alimentar relacionamentos profissionais. 

Pitch de Vendas: discurso apresentado por um vendedor para convencer o seu lead a tornar-se cliente e adquirir o seu produto ou serviço. 

PJ (Pessoa Jurídica): sociedade empresarial formada por uma ou mais pessoas físicas com finalidade e propósito específico. Possuem direitos e deveres perante à lei.

PME (Pequenas e Médias Empresas): firmas com características distintivas que obedecem limites de empregados e de finanças determinados pelas suas regiões. 

Microempresas (MEs) possuem faturamento anual de até R$360 mil e de 10 a 49 funcionários, enquanto as Empresas de Pequeno Porte (EPPs) possuem faturamento entre R$360 mil e R$4,8 milhões e de 50 a 249 funcionários.

ROI (Retorno sobre Investimento): métrica utilizada para definir quanto uma empresa recebeu de lucro com os investimentos feitos, principalmente na área de Marketing. 

Para calculá-lo, deve-se subtrair os custos e investimentos da receita gerada e dividir esse valor pelos custos e investimentos. 

StartUp: empresas com ideias inovadoras e com crescimento acelerado e em condições de incerteza, possibilitando geração de lucros instantâneos. 

Stakeholders: indivíduos ou organizações que são impactadas pelas ações de uma empresa, sendo consideradas “partes de interesse” – clientes, fornecedores, concorrentes, acionistas, imprensa, entre outras.

Sempre bom ficar por dentro das tendências do empreendedorismo né? aqui no nosso blog você não perde nada, postamos conteúdos todos os dias 🙂

Fique por dentro das novidades assinando nossa newsletter.

Nos conte aqui embaixo o que achou deste conteúdo! 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Teste Grátis Hoje!

Clicando em ”Iniciar o teste” você concorda com nossos termos de uso