DRE: o que é e como fazer na gestão do seu negócio

Bruna Wagner

Está com dúvidas sobre como funciona o DRE? Fique tranquilo! Ao abrir um negócio, muitos empresários acabam esquecendo que, além de desempenhar suas rotinas de gestão, precisam entender diversos deveres do mundo empresarial.

Alguns deles são as várias siglas de impostos, rotinas contábeis e relatórios financeiros.

Quando se trata sobre a Demonstração do Resultado do Exercício, não é diferente.

A DRE é um demonstrativo financeiro da contabilidade. Para fins legais, a empresa precisa gerar esse relatório anualmente, mas não é um documento que deve ser utilizado apenas pelo seu contador para a entrega de obrigações.

O DRE pode ser feito mensalmente e ajuda você a acompanhar o desempenho de sua empresa, como também melhorar seu planejamento financeiro, aumentando sua visão de futuro.

Acompanhe o post e descubra o que é, como funciona, para que serve e como fazer a DRE.

Vamos lá?

Afinal, o que é DRE?

A DRE é a Demonstração do Resultado do Exercício, um documento contábil que tem como objetivo detalhar o resultado líquido do exercício por período, com a confrontação de receitas, custos e despesas de uma empresa.

A DRE é o resumo financeiro dos resultados operacionais e não operacionais do negócio.

O demonstrativo pode ser elaborado mensalmente, para fins administrativos, a cada três meses para acompanhamento fiscal e anualmente para fins legais.

A DRE é extremamente importante para o contador, mas também é fundamental para os empresários, para o maior controle e planejamento financeiro.

Para que serve a DRE?

A DRE não precisa ser utilizada apenas para fins fiscais e legais. O demonstrativo também serve para melhorar a gestão estratégica da empresa, pois permite analisar de maneira muito mais crítica, acompanhando mês a mês a evolução das receitas e despesas.

Além disso, entre o que se vende e o que se gasta na empresa, com o documento também é possível reavaliar custos e despesas de produção. Desta forma, você consegue refletir como cortar gastos, que podem ser desnecessários, para ter mais lucro e alavancar seu negócio.

A DRE é um documento muito solicitado por bancos e até mesmo investidores, para análise e verificação se a saúde financeira de sua empresa está em dia e se é rentável.

Algumas informações que você pode obter com a DRE, são:

  • total de despesas gerais da empresa;
  • a composição dos custos relacionados aos produtos e serviços;
  • a receita total de vendas;
  • o lucro obtido pelas operações;
  • as incidências dos impostos sobre os produtos;
  • o nível de endividamento que pode ter.

Qual a estrutura da DRE?

Não existe uma forma definida de como preencher a DRE, mas a Lei das Sociedades por Ações (Lei nº 6.404/1976), em seu artigo 187, define a estrutura e os principais dados que o documento deve ter. A estrutura principal que sua empresa deve seguir é:

dre o que é como fazer cálculo

[Passo-a-passo] DRE: como fazer?

Agora que você já conhece a estrutura da DRE, aprenda como fazer o cálculo para chegar no resultado do lucro líquido, partindo dos valores referentes à renda bruta, dos serviços prestados e das deduções, assim como os impostos e possíveis abatimentos.

Em resumo, ao encontrar a receita líquida, deve-se subtrair os custos com mercadorias comercializadas ou serviços prestados, aí com o resultado operacional bruto, pode-se retirar os valores das despesas fixas, para encontrar o resultado operacional líquido, ainda sem a dedução dos impostos.

Por fim, após subtraídos os valores dos recolhimentos, chega-se à estrutura necessária da DRE de uma empresa.

É importante ter em conta que custos são diferentes de despesas, enquanto o primeiro se refere às somas investidas na compra dos produtos, as despesas são aquelas obrigações fixas da empresa.

Confira o passo a passo detalhado:

1. Informe a receita bruta de vendas;
2. Diminua as deduções de vendas da receita bruta de vendas. O resultado da operação, será a receita líquida de vendas;
3. Informe o custo do produto (ou serviço) vendido;  
4. Diminua o custo do produto vendido (ou serviço) da receita líquida de vendas. Assim, você terá o resultado bruto;
5. Relacione detalhadamente as despesas operacionais, administrativas e outras, como salários, Previdência Social, aluguéis, depreciação de bens;
6. Relacione detalhadamente os valores referentes a outras receitas, como as em equivalência patrimonial, por exemplo;
7. Relacione detalhadamente as despesas financeiras, como com juros;
8. Relacione detalhadamente as receitas financeiras, como juros recebidos, por exemplo;
9. Assim, do valor do resultado bruto, subtraia as despesas e some as receitas. A conta final será o resultado antes do IR/CSLL;
10. Informe o valor do Imposto de Renda e da Contribuição Social sobre o lucro líquido;
11. Do valor apurado em receita financeiras, subtraia os tributos de Imposto de Renda e Contribuição Social.  
12. Depois disso tudo, você vai chegar no valor da receita líquida do exercício.

É importante ressaltar que o DRE é uma ferramenta contábil também, e deve ser feito respeitando o regime de competência, independente se a empresa teve receita ou pagou suas despesas.

DRE é o mesmo que Fluxo de Caixa?

O DRE e Fluxo de caixa são relatórios que se complementam, mas não são iguais.

No fluxo de caixa, deve ser discriminado as entradas e saídas de dinheiro do caixa, que constitui o saldo da empresa em suas contas bancárias.  

Esse relatório, além de ser obrigatório para pequenas e médias empresas, é extremamente importante para gerenciar a capacidade do negócio em pagar seus compromissos.

Isso porque, na maioria das vezes, a empresa pode ter lucro, mas a curto prazo pode não ter capital de giro para pagar as despesas incorridas no período.

Como vimos, todas as empresas precisam da DRE, como fim legal e fiscal, mas ele também é uma grande opção para que você acompanhe o desenvolvimento de sua empresa e possa planejar o futuro de seu negócio com mais clareza.

Fazer o DRE pode ser tarefa apenas do contador, mas existem sistemas de gestão no mercado que trazem essa funcionalidade, integrada a todas às áreas de sua empresa.

Assim, você consegue gerar uma DRE Gerencial, com todos os detalhes de seu faturamento, despesas e ganhos e ter com mais precisão seu lucro líquido, no período que precisar.

Assim, é muito mais fácil acompanhar o desenvolvimento de sua empresa, tirar dúvidas sobre o assunto com seu contador e ver o que pode ser aprimorado, cortes de gastos que podem ser feitos e muito mais.

Além de que, com um financeiro organizado e um demonstrativo de resultados completo, quando a empresa precisar de um investidor ou mesmo um empréstimo, é muito mais fácil conseguir com a documentação organizada.

Conheça o DRE Gerencial da VHSYS e veja como é fácil organizar não só seu financeiro, mas como toda a gestão de vendas, estoque e até emissão de notas fiscais com o sistema.

Tem interesse em receber mais conteúdos relacionados ao assunto? Assine agora a nossa newsletter e receba materiais exclusivos!

Receba conteúdos exclusivos em seu email e fique por dentro das últimas novidades no ambiente empresarial!

Bruna Wagner
Sobre o autor
Bruna Wagner
Jornalista por formação, começou a atuar com comunicação e marketing durante a faculdade. É apaixonada por produzir conteúdos ricos que ajudam empresários a chegar ao sucesso com seu negócio. Atua como Assistente de Conteúdo, na VHSYS.

deixe seu comentário

adicionar comentário
Cancelar

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário neste post. Seja o primeiro!

Visualizar mais
Rated 4.9/5 based on 11 avaliações