Presidente da CNA quer que Receita Federal esclareça passivo de R$ 120 milhões dos OGMOs

VHSYS

sistema cna

Diante da informação de que os 29 OGMOs (Órgãos Gestores de Mão de Obra) que operam nos portos brasileiros têm um passivo previdenciário de R$ 120 milhões, a presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), senadora Kátia Abreu, protocolou, nesta quarta-feira (6/3), na Mesa Diretora do Senado, requerimento pedindo informações à Receita Federal sobre o valor e a natureza desse passivo e se ele representa algum tipo de prejuízo às garantias previdenciárias dos trabalhadores. A senadora anunciou sua disposição de pedir esclarecimentos à Receita, via Ministério da Fazenda, durante a audiência pública da Comissão Mista que analisa a MP 595, que trata da modernização dos portos.

“Há passivo que pode, ou não, significar prejuízo ao trabalhador. Quero apenas que a Receita possa nos informar qual a origem desse passivo e gostaria de ter o aval desta Comissão”, disse Kátia Abreu. Ela entende que, da mesma forma que a MP fala em manter direitos dos trabalhadores, a Comissão Mista também deve se preocupar com a manutenção dos benefícios devidos aos portuários. O requerimento indaga, ainda, se os OGMOS possuem passivo relacionado ao imposto de renda retido na fonte e qual seria o valor.

A Receita tem prazo regimental de 30 dias para responder, a partir da data do recebimento, mas dada a relevância do tema e à importância do debate em curso sobre a MP dos Portos a senadora acredita que a resposta será dada em tempo bem mais curto. “Queremos que a Receita Federal informe se esse passivo é real e qual a origem desse passivo. Se é para preservar direitos dos trabalhadores na MP dos Portos, precisamos preservar também os direitos previdenciários”, ressaltou a presidente da CNA.

Entre as funções atribuídas aos Ogmos, estão a administração da escala dos trabalhos portuários, cadastramento, registro, controle e administração de mão de obra, além do pagamento de encargos sociais e previdenciários aos trabalhadores. Estes órgãos também são os principais responsáveis pelo gerenciamento de grande parte da contratação de trabalhadores neste setor.

A Comissão Mista realizou, nesta quarta-feira, uma segunda rodada de debates com representantes dos trabalhadores portuários no Brasil. Participaram do encontro o presidente da Federação Interestadual dos Trabalhadores em Agenciamento Marítimo, Aquaviário e Operadores Portuários (Fetaport), Francisco José Nogueira, o presidente do Sindicato dos Portuários do Rio de Janeiro, Sérgio Magalhães Giannetto, e o presidente do Intersindical da Orla Portuária do Espírito Santo, José Adilson Pereira.

Fonte: Brasil Econômico

Fique por dentro das ultimas novidades no ambiente empresarial

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.

VHSYS
Sobre o autor
VHSYS
A VHSYS foi desenvolvido para que o empreendedor possa utilizar a tecnologia a serviço do seu negócio. Nosso objetivo é ajudar o micro e pequeno empresário a fazer a gestão eficiente de sua empresa, com maior produtividade e melhor aproveitamento dos recursos disponíveis.