MPEs da indústria crescem 12 vezes menos que a média geral, diz Fiesp

VHSYS

O crescimento do Faturamento das micro e pequenas empresas paulistas de 2008 até o primeiro semestre deste ano foi 12 vezes maior do que somente o das pequenas empresas industriais no estado, com o setor de Bens duráveis e de Capital puxando o baixo crescimento, aponta levantamento divulgado nesta quarta-feira (10) pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE-SP) e pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

De acordo com o estudo, considerando o Faturamento das MPEs paulistas em 2008 como sendo igual a 100, no fechamento do primeiro semestre deste ano, descontando a inflação, o resultado foi de 112,1 – um crescimento de 12,1% no período.

Nas MPEs da indústria, o Faturamento real cresceu apenas 1% no mesmo intervalo, destaca o levantamento. Por categorias dentro da indústria, houve alta de 9,2% no setor de Bens duráveis, de 3,3% em Bens intermediários e queda de 22,8% no setor de Bens de Capital e duráveis.

“O que explica esse resultado são os importados (…), sem dúvida nenhuma a concorrência com os importados é o principal fator”, avalia Bruno Caetano, diretor-superintendente do Sebrae-SP.

“Os demais setores estão conseguindo aproveitar o aumento do consumo. A indústria de alimentos aproveita o aumento do consumo. A indústria de Bens de Capital não está conseguindo, é o segmento que tem maiores dificuldades de se manter competitivo”, explica.

Marco Reis, diretor de Micro e Pequenas Indústrias da Fiesp, avalia que o cenário é o mesmo do encontrado nas indústrias dos demais portes. “Isso retrata a realidade média, é uma situação geral. Se você pegar as grandes empresas, o padrão se repete”, diz. De acordo com ele, o setor de Bens de Capital sofre com dificuldades para inovação e com a concorrência com os importados.

Faturamento no primeiro semestre

No primeiro semestre deste ano, o Faturamento das MPEs industriais atingiu R$ 35,7 bilhões, alta de 2,6% sobre o mesmo período do ano passado. No mesmo períofo, os setores de Serviços e comércio cresceram 10,3% e 7,2%, respectivamente. No total, o Faturamento das MPEs paulistas cresceu 7,6% no período.
Somente em junho deste ano, a receita das MPEs da indústria foi de R$ 5,9 bilhões, alta de 2,8% sobre o mesmo mês de 2011.

De acordo com o SEBRAE, de cada 100 MPEs paulistas, 11 são do setor industrial – sendo que 65,4% são indústria de transformação, 33,6% da construção civil e apenas 1% de extração mineral. Ainda segundo o estudo, 97,2% das indústrias paulistas são MPEs.

Emprego

Apesar da recuperação da receita das MPEs paulistas da indústria nos últimos meses, o levantamento aponta que, em junho, foi registrada queda de 2,3% do pessoal ocupado sobre igual mês do ano passado, com a redução de 25,9 mil vagas – é a maior queda desde março deste ano, quando fora de 2,9%.

Ao longo de 2012, o nível de pessoal ocupado nas MPEs do setor ficou abaixo do registrado em 2011 em todos os meses, o que demonstra que os empresários do ramo estão cautelosos.

O levantamento foi realizado com 2.716 indústrias do estado de São Paulo.

Fonte: G1

Fique por dentro das ultimas novidades no ambiente empresarial

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.

VHSYS
Sobre o autor
VHSYS
A VHSYS foi desenvolvido para que o empreendedor possa utilizar a tecnologia a serviço do seu negócio. Nosso objetivo é ajudar o micro e pequeno empresário a fazer a gestão eficiente de sua empresa, com maior produtividade e melhor aproveitamento dos recursos disponíveis.