Mães da cultura pop seriam boas empreendedoras

Bruna Wagner

Todo segundo domingo de maio é celebrado no Brasil e em diversos países do mundo, o Dia das Mães.

A data ganhou um viés comercial há muitos anos. Mas, quando surgiu, tinha como objetivo real reconhecer o trabalho das mães à humanidade. Afinal, todas elas se dedicam pelos filhos e família.

A tradição é muito antiga. Os gregos, no início da primavera, celebravam a mãe de todos os deuses, Rhea. Eles faziam homenagens, cultos e entregavam presentes.

A oficialização da data veio no século 20, nos Estados Unidos, quando Anna Jarvis começou uma campanha pelo que hoje seria o Dia das Mães. Ela queria homenagear sua mãe que já havia falecido. Em 1908, ela celebrou a data e começou a defender a causa.

Durante anos Jarvis lutou por isso. Sua maior motivação foi uma prece que sua mãe tinha lhe ensinado, que dizia: “Espero e rezo para que alguém, um dia, reconheça um dia em memória das mães, para celebrar o serviço incomparável que prestam à humanidade em todas as áreas da vida”.

Anna insistiu muito, contatou congressistas, governantes e até celebridades para que fosse criado um feriado para a data. Até que, em 1911, em todos os estados americanos a dia foi reconhecido e se tornou feriado.

No Brasil, o segundo domingo de maio foi decretado como Dia das Mães, em 5 de maio de 1932, por Getúlio Vargas.

Neste post, vamos te mostrar o número de mulheres empreendedoras no Brasil, porque elas resolvem abrir um negócio e exemplos de mães da ficção que seriam ótimas empreendedoras. Acompanhe!

Mulheres e mães empreendedoras no Brasil

No Brasil, em 2018, mais de 24 milhões de mulheres já eram donas de seu próprio negócio. Além disso, o país está na 7ª posição entre 49 países, com a maior participação feminina entre os empreendedores que possuem negócios de até três anos e meio de atividade. Este dado é da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM).

Muitas dessas mulheres acabam optando por abrir um negócio pela flexibilidade. Assim, conseguem conciliar os filhos, família e carreira com mais tranquilidade e estabilidade.

Até fevereiro de 2018, as mulheres compunham 48% dos cadastros de Microempreendedor Individual (MEI). Segundo um estudo da Rede Mulher Empreendedora (RME), o perfil feminino nos negócios é:

  • Elas possuem 38 anos;
  • 80% têm ensino superior ou mais;
  • São casadas e têm filhos.

De acordo com o estudo, 75% das mulheres decidem abrir um negócio depois da maternidade. Isso, porque precisam de um horário flexível para ficarem mais próximas dos filhos.

Ainda segundo a pesquisa, elas contam com o apoio da família para a divisão de tarefas. Além disso, tem certa dificuldade com o planejamento financeiro, mas sempre procuram capacitação e networking.

Segundo o perfil da pesquisa, as mulheres e mães empreendedoras são muito otimistas.

Cinco mães da ficção seriam ótimas empreendedoras

Separamos cinco mães da ficção que teriam muito sucesso no mundo dos negócios. Confira!

1) Rochelle

mulher empreendedorismo

Podemos dizer que a Rochelle (Todo Mundo Odeia o Chris), é a mãe das mães. Com três filhos, marido e morando no Brooklin lá nos anos 1980, ela sempre foi muito protetora com os filhos.

Isso, porque vai que eles poderiam se envolver com drogas, prostituição ou tem filhos antes da hora, não é mesmo?

Sempre que a família precisava de dinheiro extra, Rochelle “dava seus pulos”, para poder contribuir com a renda. Trabalhou em salão e até vendeu os famosos produtos Ivone.

Afinal, quem tem uma pele boa hoje, com certeza deve ter usado os produtos Ivone.

Rochelle pode ser considerada uma mulher a frente de seu tempo. Sempre teve boas ideias e da sua maneira sempre inovou em suas rotinas de dona de casa e mãe.

Hoje, provavelmente ela teria uma empresa. Todo empreendedor tem muita dedicação e isso nunca faltou para Rochelle.

Além disso, ser protetor é além de cuidar das pessoas à sua volta, é estar de olho em todos os riscos que seu negócio pode correr.

Assim, consegue evitá-los e prevê-los com mais facilidade. Fundamental para uma empresa, não é mesmo?

2) Dona Hermínia

mulher empreendedora

Dona Hermínia é o retrato da mãe brasileira. É aquela que já chega dizendo: “A gente que é mãe não tem lugar sossegado dentro de casa”. E é verdade, não é?

Hermínia tem dois filhos, é separada de seu marido e administra a casa como ninguém. Está o tempo todo em função dos filhos e também é super protetora.

Mesmo muito engraçada e um pouco estressada, Hermínia tenta levar a vida com bom humor. Se preocupa com a educação e companhia dos filhos e faz de tudo para que eles fiquem “embaixo de sua asa”.

Se você desobedecer Hermínia, já sabe que ela pode te fazer passar vergonha. Quem lembra da cena em que ela foi buscar Marcelina na balada de pijama?

Com certeza, ela seria uma boa empreendedora. É focada em tudo que faz, sabe planejar suas finanças e ainda entende do que é que as pessoas precisam. Ela entregaria um ótimo serviço para seus clientes.

3) Dona Nenê

mae empreendedora

Quem não lembra do clássico A Grande Família, da Rede Globo? Todas as quintas, muita gente tinha compromisso marcado com um novo episódio dessa “família muito unida”.

Dona Nenê era uma das personagens principais. Era uma mãe exemplar, tinha dois filhos: a Bebel e o Tuco.

Sempre foi muito zelosa e dedicada à família. Tentava apaziguar os problemas, mas muitas vezes entrava em confusão por causa disso.

Apesar de ser chorona, e até às vezes se fazer de vítima, Nenê sempre enfrentou o mundo por seus filhos e marido.

Posto que Nenê era uma pessoa muito verdadeira, ela não conseguia mentir. Sempre que ficava em uma situação assim, começava a gaguejar e ficar nervosa. Ela sempre foi muito certinha.

No empreendedorismo, Nenê teria sucesso. Seria uma pessoa fiel e zelosa com seus funcionários e muito correta com suas responsabilidades. Além disso, enfrentaria quem fosse para que seu negócio tivesse sucesso.

4) Martha Kent

mae empreendedora

Para quem não lembra, Martha Kent é a mãe adotiva de Clark Kent, nosso Superman. O personagem é um clássico das séries e filmes e sua mãe tem um papel importantíssimo em sua história.

Martha, foi a responsável por dar um lar ao menino que chegou de outro mundo na terra. Desde pequeno, ela via que Clark tinha dons especiais e entendia que precisava guiá-lo por um bom caminho.

Assim, desde sempre Martha se preocupou em mostrar o caminho correto e ético ao filho adotivo. Além disso, sempre fez questão de ensiná-lo a usar seus poderes somente para o bem.

Com certeza Martha seria uma ótima empreendedora. Neste mundo dos negócios, ser ético e transparente em suas ações, é fundamental para que o negócio cresça e conquiste mercado.

5) Dona Florinda

mae empreendedora

Dona Florinda também é uma clássica mãe. Super protege seu filho e o defende sempre, mesmo que muitas vezes esteja errado.

Por ser viúva, ela precisa administrar muito bem a pensão que ganha do falecido marido marinheiro. Assim, consegue manter as contas em dia e ainda fazer as vontades de seu “Tesouro”.

É uma mulher que defende seus ideais e certeza e não fica para trás.

No empreendedorismo, Florinda seria uma ótima gestora. Saberia administrar bem as finanças e com o tempo se desenvolveria como uma grande líder.

E aí, já imaginou empreender um dia? Conta para a gente aqui nos comentários.

Receba conteúdos exclusivos em seu email e fique por dentro das últimas novidades no ambiente empresarial!

Bruna Wagner
Sobre o autor
Bruna Wagner
Jornalista por formação, começou a atuar com comunicação e marketing durante a faculdade. É apaixonada por produzir conteúdos ricos que ajudam empresários a chegar ao sucesso com seu negócio. Atua como Assistente de Conteúdo, na VHSYS.

deixe seu comentário

adicionar comentário
Cancelar

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário neste post. Seja o primeiro!

Visualizar mais
Rated 4.9/5 based on 11 avaliações