Fraudes financeiras: como proceder com violações com cartões de débito e crédito?

Fraudes financeiras: como proceder com violações com cartões de débito e crédito?

Fernando

O cartão de crédito é uma das formas de pagamento mais utilizadas no comércio pro conta da sua praticidade na hora das compras. No entanto, empresários devem ficar atentos para lidar com possíveis fraudes no pagamento com cartão de crédito.

O Brasil é o segundo país com mais fraudes no cartão de crédito, de acordo com o ranking do “Global Consumer Card Fraud 2016”, realizada pela ACI Worldwide, líder em soluções de pagamentos.

Preparamos um artigo explicando como ocorrem essas fraudes e como proceder em caso de violação.

Os tipos mais comuns de fraude

“Administradoras”: um dos golpes mais comuns são as ligações telefônicas de supostas administradoras solicitando confirmações de dados pessoais como o número do CPF, número do cartão de crédito, data de validade, código de segurança e senha. O golpe é aplicado, frequentemente, em idosos, que não questionam o motivo de tais exigências e acabam sendo vítimas de estelionatários. Lembre-se: bancos e administradoras NUNCA solicitam senhas por telefone.

Clonagem: a fraude da clonagem é feita pela utilização dos “skimmers”, também conhecido como “chupa cabra”, uma ferramenta alocada nos leitores de cartão dos caixas eletrônicos que permite a réplica dos dados em outro cartão.

Fraudes internas: este engloba as práticas de má fé realizadas por funcionários ou o próprio cliente. No caso do funcionário, pode variar desde a reimpressão de comprovante de cartão para roubar os dados pessoais de um cliente, passar um valor diferente de venda no pagamento com cartão, entre outros. Já tratando-se do cliente, a fraude mais comum é feita pelas comprar virtuais, onde o estelionatário efetua a compra na loja virtual para, em seguida, alegar desconhecer aquela compra, exigindo o estorno do lançamento em sua fatura.

Conheça o sistema de gestão empresaria VHSYS!

Como posso me proteger?

Primeiramente, jamais forneça seus dados pessoais para estranhos e, até mesmo, pessoas de confiança. Desconfie se ligarem apresentando-se em nome de bancos e administradoras exigindo, por telefone, seus dados pessoais.

Para quem trabalha com e-commerce, uma forma mais prática e segura é a adoção de um sistema de intermediação como o PagSeguro e o Paypal, que necessita de aprovação para as transações. Além disso, suspeite de sites desconhecidos pelo grande público e não informe seus dados pessoais em qualquer site.

Já para quem suspeita de cartão clonado, acompanhe as movimentações financeiras do seu cartão e, em caso de dúvida, acione o seu banco.

Meu cartão foi clonado, e agora?

Em caso de cartão clonado, qualquer movimentação realizada fica sob responsabilidade do banco credor. Entretanto, ao deparar-se com o problema, o primeiro passo é registrar o boletim de ocorrência e solicitar o cancelamento dos cartões originais.

Evitando fraudes no e-commerce

Para evitar problemas financeiros, o ideal é que o e-commerce tenha um setor responsável pelas questões financeiras e conferência de dados que podem ser exigido dos clientes.

E você, já foi vítima de fraudes com cartões? Compartilhe sua experiência conosco!

Receba conteúdos exclusivos em seu email e fique por dentro das últimas novidades no ambiente empresarial!

Fernando
Sobre o autor
Fernando
Formado em Marketing e Coordenador de Marketing de Conteúdo na VHSYS.

deixe seu comentário

adicionar comentário
Cancelar

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário neste post. Seja o primeiro!

Visualizar mais